Quarta-feira, 15 de Outubro de 2014
Varejo cresce 3,4% em setembro, aponta Índice Cielo Varejo cresce 3,4% em setembro, aponta Índice Cielo
Barueri, 15 de outubro de 2014 – O desempenho do comércio varejista brasileiro apresentou novamente baixo patamar de crescimento no mês de setembro. Dados do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) deflacionado pelo IPCA, divulgado hoje, (15), apontam crescimento de 3,4% na receita de vendas deflacionada do setor, em comparação com o mesmo período de 2013. O ICVA nominal – sem o desconto da inflação – registrou 10,1%, na mesma base de comparação.

O ICVA de setembro de 2014 foi impactado positivamente pelo calendário em razão de uma terça-feira a mais e um domingo a menos em comparação com setembro de 2013. Historicamente, as terças-feiras costumam apresentar um volume de vendas 20% maior que o de um domingo. Descontando esse efeito, para o mês de setembro, o ICVA deflacionado teria crescido 2,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Pelo ICVA nominal, o crescimento seria de 9,5%, também em relação a setembro de 2013.

“A exemplo dos meses de junho, julho e agosto, o mês de setembro confirma que o varejo ampliado brasileiro está em um patamar inferior de crescimento se compararmos com os dados do primeiro semestre deste ano”, analisa Gabriel Mariotto, gerente de Inteligência da Cielo.

Setores

Os setores de Alimentação – Bares e Restaurantes e Supermercados e Hipermercados, que impactaram positivamente o crescimento em agosto, não repetiram o mesmo desempenho e apresentaram desaceleração em setembro. Por outro lado, os setores de Materiais de Construção e Lojas de Departamento apresentaram aceleração, embora ainda estejam em patamar baixo de crescimento. Drogarias e Farmácias foi o setor que mais cresceu em setembro e apresentou bom desempenho tanto em receita nominal como em receita deflacionada.

Regiões

As regiões Norte e Centro-Oeste lideraram o ranking de desempenho de vendas do varejo em setembro, com alta de 6,6% e 5,8% pelo ICVA deflacionado, respectivamente. Sul e Nordeste apresentaram um volume de crescimento menor, com 4,2% e 3,9% pelo ICVA deflacionado, mas ainda acima da média nacional. A região Sudeste, que costuma registrar índices mais baixos por conta do desafio estatístico de expansão em um mercado já maduro, apareceu em último lugar no mês, com alta de 2,6%.

No índice nominal, a região Norte liderou o crescimento, com alta de 12,9%. Em seguida, vieram as regiões Centro-Oeste, com crescimento de 12,6%, Sul, 11,0%, e Nordeste, 10,9%. O Sudeste cresceu abaixo da média nominal nacional, com alta de 9,3%.

Terceiro Trimestre

Considerando os dados consolidados do terceiro trimestre de 2014, o ICVA deflacionado pelo IPCA apresentou alta de 3,6% ante 2,9% registrado no segundo trimestre de 2014. Já o ICVA nominal apontou um crescimento de 10% no último trimestre contra 10,8% no trimestre anterior. “A explicação para essa pequena aceleração do ICVA em receita deflacionada no terceiro trimestre se dá pela menor pressão de preços, principalmente em setores de serviços, como Companhias Aéreas e Hotéis, observada no período - o que não ocorreu no segundo trimestre”, observa Mariotto. “O destaque, no entanto, é que o patamar de crescimento do terceiro trimestre se manteve bem próximo ao do trimestre anterior, ambos em níveis inferiores aos dos primeiros meses do ano e também do final de 2013”, afirma Mariotto.

Considerando os dados consolidados do terceiro trimestre do ano, a região Norte apresentou o melhor desempenho, com crescimento de 5,8% na receita deflacionada, seguida pela região Centro-Oeste, que cresceu 4,6%. A região Sul apresentou alta de 3,8%, seguida da Região Nordeste, com expansão de 3,6%, e Sudeste, com 3%.

Como é calculado o ICVA

O Índice Cielo do Varejo Ampliado – ICVA acompanha mensalmente a evolução do desempenho do varejo ampliado brasileiro com base em um grupo de 24 setores mapeados pela Cielo, de pequenos lojistas a grandes varejistas. O ICVA não tem correlação com o desempenho financeiro da Cielo. Para criar um indicador neutro que refletisse puramente a atividade econômica e o apetite de consumo no comércio, sem qualquer inferência a seus resultados, a companhia desenvolveu modelos matemáticos para isolar os efeitos do comportamento competitivo do mercado de credenciamento – como a variação de market share, por exemplo.

Também foram isolados os efeitos da maior participação de cartões na economia pela substituição de cheque e dinheiro. Os dados que compõem o Índice são capturados, de forma agregada, da base de mais de 1,4 milhão de pontos de venda ativos credenciados à Cielo em todo o Brasil, tanto nas lojas físicas como nos canais mobile e e-commerce.
Fonte: Divulgação
Tags: Varejo, Crescimento, Índice cielo, Comércio, Icva
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
supermercados franquias inadimplência e-commerce faturamento comércio shoppings preços ipi natal vendas economia consumo comércio eletrônico veículos crédito são paulo indústria ecommerce varejo

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront