Quinta-feira, 02 de Outubro de 2014
Varejo ganhou R$ 2,44 trilhões em 2012, diz o IBGE Varejo ganhou R$ 2,44 trilhões em 2012, diz o IBGE
O comércio registrou uma receita líquida de R$ 2,44 trilhões em 2012, um crescimento de dois dígitos (16,44%) em relação a 2011, ritmo mais intenso do que o verificado em períodos anteriores. Os dados são da Pesquisa Anual do Comércio (PAC) 2012, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira (1).

O setor ainda empregava 10,2 milhões de pessoas há dois anos e se fosse um município, estaria atrás apenas de São Paulo, a maior cidade do País, que tem 11,8 milhões de habitantes. Em relação a 2011, o comércio absorveu 600 mil trabalhadores. De acordo com o IBGE, esses profissionais receberam, em 2012, R$ 150,1 bilhões em salários, retiradas e outras remunerações. O órgão levantou as informações com base em uma amostra de mais de 80 mil estabelecimentos. A estimativa é de que, há dois anos, havia 1,613 milhão de empresas comerciais brasileiras.

O IBGE divide a atividade em três grupos: comércio varejista, atacadista e de veículos, peças e motocicletas. A maioria dos estabelecimentos (79,8%) e de pessoas ocupadas (73,8%) está no comércio varejista. Mas é das vendas no atacado que vem a maior parcela da receita operacional líquida (43,8%, ou R$ 1,069 trilhão), seguido pelo varejo (42,9%, ou R$ 1,046 trilhão). No comércio varejista, as empresas que possuíam até 19 pessoas ocupadas geraram 40,1% (R$ 419,4 bilhões) da receita.

No varejo, os hipermercados e supermercados representaram a maior receita, R$ 257,7 bilhões (24,9% do total do segmento). A atividade também se destacou em salários, retiradas e outras remunerações (R$ 16,1 bilhões ou 17,1% do total). Em relação à receita, também se destacaram combustíveis e lubrificantes (R$ 174,7 bilhões) e material de construção (R$ 100,7 bilhões).

As lojas de departamento, eletrodomésticos e móveis se sobressaíram em termos de salário médio mensal (1,8 salário mínimo). Já as atividades que mais ocuparam no setor varejista em 2012 foram tecidos, vestuário e calçados (1,376 milhão de pessoas), produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,207 milhão) - este também com o maior número de empresas, 326,602 mil - e supermercados (1,143 milhão), a maior média por estabelecimento, com 84 trabalhadores por empresa (13.660 no total).

No comércio atacadista, o destaque ficou com as empresas revendedoras de combustíveis e lubrificantes, com 1,88 mil empresas (1% do atacado) e contribuição de 24,3% da receita líquida (R$ 249,8 bilhões). No comércio de veículos, peças e motocicletas, a atividade de veículos automotores respondeu por R$ 220,4 bilhões da receita líquida (69,8%), ocupou 303,4 mil pessoas (31,8%), com um total de 20,6 mil empresas (13,5%). A atividade registrou a maior média de pessoal ocupado por empresa (15), o maior salário médio (3,1 salários mínimos) e a mais alta produtividade do trabalho (R$ 72,722 mil por pessoa ocupada).
Fonte: Estadão Conteúdo
Tags: Varejo, 2012, Ibge, Comércio, Receita líquida
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
são paulo e-commerce natal comércio eletrônico economia varejo vendas crédito franquias indústria faturamento consumo comércio inadimplência shoppings ecommerce preços veículos ipi supermercados

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront