Terça-feira, 13 de Junho de 2017
Lojas Renner já encosta no valor da Macy's Lojas Renner já encosta no valor da Macy's
Sem fazer alarde, a brasileira Lojas Renner já é quase do tamanho da Macy's, uma das maiores redes de departamento dos EUA. É o que se vê quando se coloca frente a frente o valor de mercado das duas companhias. O total de ações da brasileira equivale a R$ 19,549 bilhões ou US$ 5,9 bilhões. Já a rede americana totaliza um valor de mercado de US$ 6,8 bilhões, apenas 10,7% acima da varejista brasileira. Por trás dessa aproximação há dois fatores: de um lado, uma mudança de comportamento do consumidor que enfraqueceu o modelo de negócios da empresa americana, que vem encolhendo; do outro, uma gestão que conseguiu garantir o crescimento dos resultados mesmo em um ambiente de forte recessão econômica no Brasil.

A Macy's simboliza o consumo americano, mas suas vendas estão em queda e só no ano passado fechou 66 lojas. As vendas recuaram 7,5% no primeiro trimestre de 2017 e o lucro caiu 38,8%.

"Os resultados da Macy's continuarão pressionados pela redução da frequência nas lojas e a mudança do consumidor para a compra digital. Iniciativas para recompor as perdas podem demorar um tempo para ter efeito. É provável que mais lojas fechem", explicou Poonam Goyal, analista sênior da Bloomberg Intelligence.

Assim como outras lojas de departamento americanas (JCPenney e Sears, que também estão fechando lojas), a Macy's enfrenta redução no fluxo de pessoas devido a preferência do público pelo e-commerce e redes de "fast fashion", como Zara e H&M - mais ágeis na renovação de coleções e com menores custos.

Se a Macy's tem problema com a concorrência, a Renner vai na trajetória oposta, o que explica a valorização de mais de 30% de suas ações em 2017. A empresa também atua no modelo de "fast fashion", com mudança constante das peças e tem 451 lojas sob as bandeiras Renner, You Com e Camicado. O plano de expansão da Renner continua em andamento e contempla a abertura de duas lojas no Uruguai ainda neste ano, já que o país vizinho tem renda média maior do que no Brasil.

Apesar da recessão, o faturamento no primeiro trimestre da Renner chegou a R$ 1,4 bilhão, uma alta de 14,7%. A empresa, nos últimos anos, vem conseguindo apresentar resultados melhores que os concorrentes, graças ao controle de custos, manutenção de margens e baixo endividamento. A venda de produtos financeiros também garante um bom ganho para a empresa. "A Renner se comporta bem mesmo em períodos de alto estresse. Tem um processo de decisão muito bom, que permite uma dinâmica maior para mudanças. Ela foi a empresa menos penalizada do setor na crise", avalia Adeodato Volpi Netto, estrategista-chefe da Eleven Financial.

Outro ponto destacado por analistas é que a Renner consegue fidelizar o cliente e estimulá-lo a comprar em seu site. A coleção de outono-inverno foi lançada com um desfile transmitido ao vivo nas redes sociais, e os produtos exibidos podiam ser comprados na hora, em um conceito chamado de "see now, buy now" (veja agora, compre agora). No dia seguinte, as peças já estavam disponíveis em todas as lojas físicas. E o espaço para crescer em um retomada gradual da economia é grande, porque a loja se dedica a um varejo em que os valores médios das compras são mais baixos do que os de redes de eletroeletrônicos. - Jornal do Comércio
Fonte: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2017/06/economia/
Tags: Varejo, Macys, Renner
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
economia natal consumo preços veículos vendas supermercados varejo comércio eletrônico são paulo faturamento crédito ecommerce shoppings inadimplência franquias e-commerce ipi comércio indústria

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront