Sexta-feira, 07 de Abril de 2017
Intenção de consumo em São Paulo tem pior índice desde 2012 Intenção de consumo em São Paulo tem pior índice desde 2012
Pesquisa do Programa de Administração do Varejo, da Fundação Instituto de Administração (Provar- FIA), divulgada hoje (6), em São Paulo, indica que pretendem comprar bens duráveis nos próximos três meses 40% dos consumidores paulistanos. O índice é o menor para o segundo trimestre do ano desde 2002, quando o percentual ficou em 30,2%. No mesmo período de 2016, a expectativa era ligeiramente melhor: 40,2%.

De acordo com o presidente do Conselho do Provar, Cláudio Felisoni, as altas taxas de desemprego trazem insegurança aos consumidores. “Não há dúvida que a questão do emprego é absolutamente essencial na determinação das disposições de compra. Se a pessoa se sente insegura em manter o emprego, ou se está desempregada e atribui uma chance pequena de voltar ao mercado de trabalho, obviamente que ela se sente com poucas condições para voltar a comprar”, disse.

O economista ressaltou que, apesar da inadimplência ter registrado ligeira queda nos últimos meses, os níveis ainda estão altos. “As famílias melhoraram um pouquinho, mas continuam com a renda bastante comprometida com pagamentos já contratados”, afirmou.

Os itens com maior intenção de compra são os eletrônicos (22%), eletrodomésticos (21%), informática (16%), livros (15%) e moda e acessórios (15%). O valor médio que se espera gastar ficou em R$ 2,3 mil contra R$ 2,6 mil do segundo trimestre do ano passado.

Com base no cenário atual, Felisoni acredita que o setor do varejo possa sofre uma retração de até 7% neste ano. “O que os números mostram é que há condições gerais melhores para o consumo do que aquelas que nós estávamos assistindo. Mas dentro de um quadro bastante negativo. Ou seja, há uma melhora, mas ela não vai ser suficiente para neste ano assistirmos uma recuperação”, avaliou.

Comércio eletrônico

As intenções de compra pela internet para os próximos três meses são de 85%. No mesmo período de 2016, pretendiam comprar pela internet bens duráveis 80,9% dos consumidores do estado de São Paulo. A pesquisa do comércio eletrônico é feita em parceria com a consultoria E-bit.

Para este ano, a expectativa é que as vendas pela internet cresçam 12%. Essa modalidade de comércio representa, segundo a E-bit, 4% de todo o varejo no estado de São Paulo.
Fonte: Agência Brasil
Tags: Intenção de consumo, São paulo, Varejo
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
crédito comércio vendas faturamento comércio eletrônico ecommerce veículos economia preços shoppings indústria inadimplência consumo supermercados são paulo natal franquias ipi varejo e-commerce

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront