Segunda-feira, 13 de Março de 2017
Esperando a crise acabar para empreender? Comércio eletrônico pode ser a solução Esperando a crise acabar para empreender? Comércio eletrônico pode ser a solução
Começar um novo empreendimento é o sonho de muita gente. O problema é que com a crise econômica, muitas pessoas acabaram adiando ou mesmo desistindo desse sonho.

No entanto, na contramão da crise, o comércio eletrônico tem se mostrado uma boa opção para os empreendedores mais destemidos. A boa notícia é que, segundo dados divulgados pela Ebit, empresa especializada em coletar e divulgar informações relativas ao comércio eletrônico no Brasil, apesar da crise, em 2016 o #E-commerce teve um crescimento de 7,4% em relação ao ano anterior.

Segundo especialistas, apesar de baixo, esse percentual ainda é animador, quando comparado com outros setores da economia brasileira, que apresentaram resultados muito piores.

Em relação ao faturamento, no ano de 2016 o e-commerce brasileiro alcançou 44,4 bilhões e a probabilidade é de que no ano de #2017 esse crescimento seja ainda maior. Portanto, se você tem interesse em começar a empreender, mas ficou inseguro com a crise, talvez a melhor solução seja investir no e-commerce. Para isso, veja quais foram as categorias que obtiveram o maior faturamento em 2016 e que prometem continuar crescendo em 2017.

1. Eletrodomésticos
Em primeiro lugar, ficou o nicho de eletrodomésticos, que alcançou 23% do faturamento de todas as vendas realizadas ao longo de 2016.


2. Telefonia e celulares
Em segundo lugar, o nicho de telefonia e celulares ficou bem próximo ao primeiro colocado, com um faturamento de 21% do total de vendas em 2016.

3. Eletrônicos
O terceiro lugar foi para a categoria de eletrônicos, que fechou o ano com 12,4% do total das vendas.


4. Informática
O ramo de informática, por sua vez, teve um faturamento relativo a 9,5% do total das vendas de 2016.

5. Casa e decoração
Por último, o ramo de casa e decoração ficou com 7,7% do faturamento total das vendas.

Como é possível perceber, estas cinco categorias somam quase 75% do faturamento total das vendas de 2016 e, apesar da alta concorrência, podem ser uma boa solução para começar a empreender em 2017. Além disso, a previsão, segundo o relatório da Ebit, é que em 2017 os brasileiros gastem 49,7 bilhões no comércio eletrônico.
Fonte: Blasting News
Tags: Empreendedorismo, Comércio eletrônico, Crise econômica, Comércio eletrônico
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
indústria natal ecommerce comércio comércio eletrônico varejo crédito inadimplência franquias são paulo preços faturamento vendas e-commerce shoppings supermercados economia ipi veículos consumo

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront