Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017
Crise do varejo pressiona redes a fechar mais lojas nos EUA Crise do varejo pressiona redes a fechar mais lojas nos EUA
(Bloomberg) -- Enfraquecidas após um fim de ano instável e de menor movimento nos shoppings, as redes varejistas dos EUA sofrem cada vez mais pressão para fechar lojas neste momento em que uma parcela maior de seus negócios está migrando para a internet.

Mais de 10 por cento do espaço de varejo dos EUA, ou cerca de 92 milhões de metros quadrados, poderão precisar ser fechados, convertidos para outros usos ou renegociados para reduzir o aluguel nos próximos anos, segundo dados fornecidos à Bloomberg pela CoStar Group. O movimento se dá após o fechamento de cerca de 5.000 lojas nos últimos 18 meses, um total estimado de 4,64 milhões de metros quadrados, segundo a Clarion Partners.

"Provavelmente venha mais pela frente", disse Tim Wang, chefe de pesquisa de investimento da Clarion, que possui cerca de US$ 44 bilhões em imóveis sob gestão. "Eu sinto muito por dizer isso, mas se você olhar o quadro geral do varejo, ele não é nada bom."

Alguns dos maiores nomes do setor nos EUA, como Sears Holdings e Macy's, afirmaram que fechariam as lojas com movimento mais fraco neste ano. Outras empresas entraram com pedido de recuperação judicial ou estão considerando essa possibilidade, incluindo a The Limited, que já foi uma das redes mais poderosas do setor de shoppings.

Um problema enfrentado pelo varejo dos EUA é que há lojas demais. O país possui cerca de 2,22 metros quadrados de imóveis de varejo per capita, segundo dados compilados pela Clarion. Como comparação, o Canadá possui apenas 1,48 metro quadrado por pessoa.

Os consumidores ampliaram os gastos na última temporada de Natal, mas a maior parte do aumento se deve aos grandes descontos e às compras on-line. O gasto geral subiu 4 por cento em novembro e dezembro, para US$ 658,3 bilhões, superando a projeção de 3,6 por cento, segundo a Federação Nacional do Varejo dos EUA. As vendas fora das lojas, um indicador das transações on-line, subiram 13 por cento.

Macy's e Sears

A farra de compras não se estendeu a todas as lojas presentes nos shoppings, especialmente às mais importantes. A Macy's reportou vendas decepcionantes no período do Natal e a empresa anunciou um plano de demitir 6.200 pessoas. A empresa havia informado anteriormente que fecharia 100 lojas, 68 delas neste ano. A decisão eliminará mais 4.000 empregos. A Sears também anunciou a decisão de fechar lojas após a queda nas vendas no Natal. A rede de lojas de departamento fechará 150 unidades.

Esses fechamentos representam cerca de 2,6 milhões de metros quadrados, segundo relatório de Suzanne Mulvee, estrategista de varejo da CoStar.
Fonte: Bloomberg
Tags: Crise do varejo, Redes americanas, Redes varejistas, Estados unidos, Varejo
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
indústria supermercados crédito economia franquias natal vendas faturamento veículos e-commerce ecommerce ipi consumo preços inadimplência são paulo comércio varejo comércio eletrônico shoppings

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront