Terça-feira, 17 de Janeiro de 2017
Franchising brasileiro projeta crescimento de até 9% neste ano Franchising brasileiro projeta crescimento de até 9% neste ano
Mesmo sendo um ano desafiador para a economia, o mercado de franquias se manteve estável e deve chegar a um crescimento de 8% no faturamento em 2016, segundo a prévia parcial da Associação Brasileira de Franchising (ABF), que foi divulgada na coletiva de imprensa realizada no último dia 12 de janeiro.

Segundo a pesquisa, os setores que continuam em destaque por conta de sua representatividade é o de alimentação com 36% das redes, serviços educacionais com 18%, moda com 14% e seguido por saúde, beleza e bem estar com 12%, sendo esse último o que obteve maior crescimento nos últimos anos.

Um dos fatores que garantiram o excelente desempenho do segmento de alimentação foram as redes com mais de 10 anos de atuação. Um exemplo é a Patroni, fundada há mais de três décadas, atualmente é a maior rede de pizzarias do Brasil com 210 lojas em todo o país. A rede chegou a um faturamento de R$ 360 milhões em 2016, um crescimento de 5% em relação a 2015. Para este ano, a marca prevê um incremento de 28% em faturamento e 23% em número de lojas.

Outro nicho promissor em franquias é o de serviços educacionais, um dos precursores do franchising, que tem registrado aumento na procura por cursos em função do cenário econômico do pais. A Sigbol Fashion, especializada em formação profissionalizante em confecção e moda, teve um crescimento de 20% nas matrículas no segundo semestre de 2016. Aproveitando o bom momento para o setor, a marca desenvolveu um modelo de microfranquia, com investimento inicial de R$ 80 mil e prazo de retorno entre 9 e 18 meses, para viabilizar seu crescimento fora dos grandes centros.

Outro exemplo de sucesso é a Evolute Cursos Profissionalizantes, que se destaca por oferecer mais de 70 módulos, entre cursos profissionalizantes e de idiomas, em suas 90 unidades. No último ano, incorporou o ensino de línguas e teve um crescimento de 18% em volume de matrículas, colaborando para o faturamento de R$ 32,4 milhões. Em 2017, a rede, que faz parte da holding Grupo VA, pretende investir em formações voltadas para o público jovem, chegar a 130 unidades e elevar o ganho anual para R$ 47 milhões.

Já o de moda, reconhecido por criatividade e inovação tem marcas com mais de cinco décadas no mercado que se sobressaem. É o caso da Tip Top, referência no mercado infantil há 64 anos, que encerrou o ano de 2016 com 110 lojas espalhadas por todo o país, um crescimento de 5% se comparado ao ano anterior. Apostando sempre em novidade, lançou o novo modelo de negócio, o primeiro quiosque do mercado têxtil infantil. Para 2017, a rede pretende abrir 14 novas lojas, sendo cinco do modelo enxuto projetando um crescimento 12% em número de unidades. Outro destaque é a tradicional rede de franquia Hope, que há 50 anos no mercado de moda íntima inaugurou 25 franquias em 2016, totalizando 165 unidades distribuídas pelo país. Para 2017, a marca pretende expandir em cidades com mais de 50 mil habitantes, por meio dos modelos de negócios compactos com investimento inicial a partir de R$ 180 mil, e prevê inaugurar 30 novas operações ao longo desse ano.

Por fim, o quarto segmento com números expressivos, saúde beleza e bem estar, está inserido em um mercado com crescimento arrojado e que não sofre muito com a retração econômica. Prova disso, é o Grupo Sóbrancelhas, com duas marcas de destaque, vem ganhando espaço em todo o Brasil, com a Sóbrancelhas e a nova rede Beryllos. Pioneira em quiosques especializados em embelezamento do olhar e da face, a Sóbrancelhas alcançou cerca de 200 unidades e faturamento de R$ 55 milhões de reais. Para este ano, serão inauguradas as primeiras operações internacionais, além das 50 novas lojas. Outra aposta do grupo é a primeira cuticularia do Brasil, que tem meta de chegar a 10 operações no primeiro semestre de 2017 nas regiões paulistas e alcançar um faturamento de R$ 18 milhões este ano. Nesse cenário, o Mercadão dos Óculos que se destaca por oferecer itens até 60% mais baratos que a média do mercado, remou contra a maré e fechou 2016 com 105 unidades em funcionamento no país, das quais 37 foram inauguradas. Para 2017, a rede planeja a abertura 80 novas lojas.

Segundo o balanço, o setor de franquias pode crescer de R$ 139,593 bilhões para R$ 150 bilhões, um crescimento de 8% em 2016. Já a projeção de crescimento no faturamento em 2017 é de 7% a 9%.
Fonte: www.newtrade.com.br
Tags: Franshising, Crescimento, Economia
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
supermercados são paulo preços crédito faturamento comércio eletrônico vendas franquias indústria ipi ecommerce veículos inadimplência shoppings economia comércio consumo varejo e-commerce natal

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront