Quinta-feira, 05 de Janeiro de 2017
Varejo apresenta retração de 4,1% no fluxo de lojas em 2016 Varejo apresenta retração de 4,1% no fluxo de lojas em 2016
2016 não foi um ano fácil para o varejo. O ano de 2016 registrou queda de fluxo de pessoas em loja em quase todos os meses na comparação ao ano anterior, com exceção para o junho, o único em que 2016 superou 2015, resultando em queda de -4,1% na comparação da média dos dois anos. O apontamento é do ICV (Índice de Consumidores no Varejo), divulgado pela ABVS (Associação Brasileira de Varejo em Shopping) e pela Virtual Gate, empresa especializada no monitoramento de fluxo de clientes em pontos de venda.

A análise demonstra que nem mesmo a sazonalidade de eventos como Black Friday e o Natal conseguiram retomar o movimento, embora uma maior proximidade com a curva de 2015. Em dezembro a retração foi de -3,3%.

Em relação ao desempenho trimestral, os dados apontam que o terceiro trimestre do ano foi o que apresentou pior resultado ( -6,6%), seguido pelo quarto trimestre (-4,1%). Primeiro (-3,5%) e segundo (-2,4%) trimestres também apresentaram resultados negativos.

Os dados também mostram o resultado de fluxo nas diferentes regiões do país, onde a região Sul foi a única a apresentar resultado positivo. As piores quedas estão nas regiões Nordeste e Centro Oeste, ambas com queda de -5,8%.

Resultado por região:

• Centro Oeste: - 5,8%
• Nordeste: -5,8%
• Sudeste: -4,2%
• Norte: -2,5%
• Sul: +2,4%

De acordo com Heloísa Cranchi, diretora geral da Virtual Gate, mostra otimismo: "Embora o resultado negativo, há sinais de que o consumidor está buscando oportunidades. Se o varejo conseguir oferecer boas oportunidades, a tendência é que haja recuperação nesses números em 2017".

Na opinião de Rufino Martins, diretor da ABVS, o próximo ano poderá ser desafiador para o varejo. "Tudo ainda depende dos rumos econômicos e políticos do país. A falta de algumas definições nesse sentido ainda prejudica a retomada de investimentos no setor, mas o varejo se mostra otimista e confiante nos rumos do mercado".

A base analisada conta com mais de 1200 pontos de medições (lojas) adota a Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, na sua versão mais atual 2.0, ponto de referência Base 100 = Janeiro de cada ano para comparativos anuais, e Base = 100 primeiro mês analisado no comparativo mês a mês.

Sobre a Virtual Gate

Fundada em 2002, a Virtual Gate, fornece soluções para o aumento de faturamento dos varejistas por meio de tecnologia que permite a gestão do fluxo do consumidor e da taxa de conversão. Atende algumas das maiores empresas do País e grandes redes varejistas, além de oferecer soluções de valor agregado para médias e pequenas empresas de todo o Brasil, com clientes em todas as regiões. Seu portfólio tem alguns cases de sucesso como: C&A, Pernambucanas, Restoque, TendTudo, Nike, Adidas, FNAC, Livraria Cultura, Lojas Americanas, Farm, Paquetá, Calvin Klein, Loungerie, L'Occitane, Sephora, entre outros.
Fonte: Terra
Tags: Varejo, Retração, Fluxo de lojas
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
consumo são paulo varejo indústria franquias natal faturamento inadimplência veículos shoppings supermercados vendas economia comércio crédito ipi e-commerce preços comércio eletrônico ecommerce

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront