Sexta-feira, 11 de Novembro de 2016
Lojistas da Bahia estão otimistas com vendas de última hora Lojistas da Bahia estão otimistas com vendas de última hora
Nas lojas os primeiros sinais do Natal já estão nas vitrines e nos cartazes ainda meio tímidos, mas que já expressam a preocupação com as vendas no final de ano. Com uma projeção de queda de até 9% em comparação com o ao ano passado, o Sindicato dos Lojistas da Bahia (Sindilojas) contudo, aposta na virada de última hora para reverter a tendência e ser surpreendido pelo aumento da procura pelos consumidores.

Pesquisa recente feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais brasileiras, revelaram que 40% dos consumidores vão comprar menos durante o período de Natal, em comparação com o mesmo período de 2015.

Os impactos maiores serão na classe C, na qual 45% dos pesquisados disseram que vão gastar menos. Os que planejam gastar a mesma quantia são 21,1%, enquanto 21,7% acreditam que gastarão mais.

A situação reflete uma tendência observada ao longo do ano, mas mesmo assim, o presidente do Sindilojas na Bahia, Paulo Mota, aposta no que ele chama de “espírito natalino” de última hora para amenizar as perdas no varejo.

“Existe ainda um cenário de incertezas na economia e isso se faz sentir nas vendas. Mas acreditamos quer com o clima de Natal, as pessoas se sintam mais motivadas para as confraternizações e irem às compras”, disse.

A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Salvador, CDL, disse que ainda não se pode mensurar o efeito de uma possível reação do comércio varejista com o período do final do ano, e que ainda está fazendo uma pesquisa de avaliação e expectativas. Segundo a entidade, nos próximos dias será possível, com base numa pesquisa junto aos clientes, saber quais as tendências de vendas para o setor em Salvador.
Já o presidente do Sindilojas, Paulo Mota, acredita que mesmo havendo uma procura nas compras, os resultados não deverão ser significativos em relação à projeção de queda de 9%, válida até agora. “Não há ainda uma clareza do comportamento do consumidor. Em muitos locais eles desapareceram nas lojas, mas ainda estão na fase de pesquisar preços e hesitante ante as compras”, disse.

Consumidores podem limpar o nome em Feirão

O presidente do Sindilojas na Bahia, Paulo Mota, destaca que nos próximos dias será iniciada o Feirão de Nome Limpo, com o objetivo de reabilitar aqueles consumidores que estão negativados no mercado.

Mota lembra que atualmente a maioria das compras no comércio varejista é feita com o uso do cartão de crédito, e por causa do elevado índice de inadimplência, as vendas não crescem.

Na pesquisa feita pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de proteção ao Crédito (SPC), estimou-se que aproximadamente 107,6 milhões de consumidores brasileiros devem presentear alguém neste Natal. Se forem confirmadas o período do Natal deste ano deverá ser semelhante ao do ano passado em volume de consumidores nas lojas.

Os números mostraram que o a intenção de compras se mantém elevada, com 72,2% dos consumidores brasileiros pretendem comprar presentes para terceiros no Natal deste ano.

Em contraposição, 7,4% das pessoas consultadas disseram que não vão presentear ninguém, ao passo que 20,4% ainda não se decidiram, o que equivale a quase 30,4 milhões de indecisos e potenciais compradores.

Contudo, a pesquisa revelou que o gasto médio por presente deve ser menor que o do ano passado, custando em torno de R$ 109, o que representa uma queda real – já descontada a inflação – de 5,34% na comparação com o ano passado. Entre as justificativas para se gastar menos no Natal, 26,4% culpam o aumento dos preços.

O desemprego é a segunda causa dos presentes mais modestos, citado por 13,9% desses consumidores. Outras justificativas ainda mencionadas são o pagamento de prioridades, como casa e carro (12,1%), dificuldades financeiras (11,7%), aumento da inflação e a economia instável (11,6%) e endividamento (11,2%).

Com juros elevados e crédito mais restrito, o pagamento à vista será o meio mais utilizado pela maioria dos entrevistados ouvidos (56,9%), seja em dinheiro (que passou de 42,3% para 48,2% em um ano), seja no cartão de débito (8,7%).

Por outro lado, praticamente quatro em cada dez (39,4%) entrevistados garantem que vão optar pelo pagamento no cartão de crédito, incluindo a opção do parcelamento (28,2%) ou em única parcela (11,2%).
Fonte: Tribuna da Bahia
Tags: Vendas, Final de ano, Bahia, Vendas de natal, Lojistas
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
varejo franquias ecommerce consumo economia comércio preços veículos ipi faturamento são paulo vendas indústria inadimplência supermercados shoppings natal crédito comércio eletrônico e-commerce

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront