Sexta-feira, 12 de Agosto de 2016
5 segredos de quem tem várias franquias ao mesmo tempo 5 segredos de quem tem várias franquias ao mesmo tempo
Ter uma franquia já é um investimento que exige muita pesquisa e preparação por parte do empreendedor. Porém, um movimento ainda mais surpreendente está em expansão: o de franqueados que possuem não uma, mas várias franquias.

Esses são os chamados “multifranqueados”: empreendedores que possuem duas ou mais unidades franqueadas. Segundo um relatório da Associação Brasileira de Franchising (ABF), essa é uma realidade consolidada nos EUA e na Europa e que passou a ter mais expressão no país.

Um dos maiores benefícios dessa opção por ter várias franquias é conseguir dar um salto de escala no negócio, afirma Luís Henrique Stockler, da consultoria ba}STOCKLER. Sabendo disso, é preciso buscar marcas que possuem um plano de expansão alinhado com o seu.

“Essa franqueadora precisa estar pronta para oferecer mais unidades e ter um planejamento de crescer em número de lojas ao longo de um determinado período. Ou seja, procure uma rede que lhe ofereça a chance de ser um investidor de múltiplas lojas.”

Porém, é preciso estar atento: mais poderes trazem mais responsabilidades. “O ganho de escala traz novos desafios: a criação de um sistema unificado para os programas usados por cada marca e a criação de áreas de recursos humanos e de financeiro, por exemplo. Ou seja: criar uma estrutura de gestão que tenha volume para cuidar de várias lojas, mas sendo ainda enxuta. São questões que muitos ainda não sabem como lidar”, avisa o especialista.

Por isso, EXAME.com conversou com cinco multifranqueados para saber, na prática, quais as principais dificuldades no dia a dia de multifranqueado – e o que eles aprenderam com a experiência. Confira, a seguir, quais são os segredos do sucesso de quem cuida de várias franquias ao mesmo tempo:

1. Quer investir no mesmo setor? Consulte seu público

A franqueada Danúbia Reis abriu sua primeira franquia em 2014: a Mais Depil, que oferece serviços de depilação. Seis meses depois, já tinha outra franquia operando no mesmo endereço, com uma parede de separação: a Mais Olhar, que oferece serviços de beleza para olhos e sobrancelhas. Ambas são do mesmo grupo franqueador.

Já são dois anos de vida de franqueada dupla. “Antes, eu ficava muito limitada no oferecimento de serviços. A Mais Olhar agregou mais opções dentro do mesmo espaço e, assim, consigo mais retorno”, conta a empreendedora.

Porém, antes de abrir um serviço complementar ao seu primeiro no mesmo espaço, Reis recomenda falar com seu público atual e testar a aceitação quanto à nova franquia. “No meu caso, os clientes foram receptivos quando falei que queria colocar outra franquia com os serviços de embelezamento do olhar. Faça uma pesquisa prévia e verifique se vale a pena, se há mesmo essa complementaridade.”

Segundo Stockler, uma vantagem do multifranqueado que atua em um único segmento ou em segmentos complementares é que ele pode idealizar um plano de carreira mais expansivo para seus funcionários.

“Quando você precisar de cargos de gerência em uma das franquias, por exemplo, pode cobrir vagas ao prospectar membros de todas as unidades. Além disso, o controle do estoque e do fluxo de caixa é mais facilitado quando os segmentos são similares.”

2. Quer investir em um setor diferente? Procure bons parceiros

Hugo Barros abriu há sete anos sua primeira franquia: a Doctor Feet, que oferece serviços na área de podologia. Hoje, ele já resolveu investir também no ramo do comércio: além de duas unidades da Doctor Feet, possui duas unidades da franquia de calçados Outer Shoes.

Para lidar com uma atividade completamente diferente, quando a experiência em um setor não necessariamente facilita o entendimento de outro, Barros recomenda uma relação mais próxima com franqueador e com sócios. “Você tem o suporte das franquias, que devem auxiliar nesse sentido, e também pode ter sócios com divisões de tarefas equilibradas.”

3. Capacitar e delegar é essencial para ser multifranqueado

Leonardo Xambre e os irmãos Júnior e Rodrigo abriram sua primeira franquia em 2007, da marca de calçados Artwalk. Desde então, os irmãos acumulam 14 operações (todas no mesmo segmento): seis franquias Authentic Feet, sete franquias Artwalk e uma franquia Tênis Express. Todas são do mesmo grupo, o Afeet.

A maior dificuldade no dia a dia, segundo Xambre, é lidar com a gestão de pessoas. “Hoje, a gente não consegue estar fisicamente no ponto de venda, e nossa maior dificuldade é encontrar profissionais do varejo. Especialmente neste momento de crise, é preciso ter uma equipe preparada para realmente saber vender, com líderes que entendam dos indicadores do setor.”

Para isso, o empreendedor recomenda investir muito na capacitação dos próprios funcionários, para que eles futuramente venham a assumir cargos de lideranças. Além disso, aproveite o momento para selecionar a boa mão-de-obra disponível no mercado, diante do aumento do desemprego.

Saber gerenciar pessoas é uma característica comum aos multifranqueados de sucesso, diz Stockler. “Vejo esses multifranqueados com uma facilidade de gerenciar grandes grupos de pessoas: delegar, cobrar, motivar. Para isso, é preciso saber escolher e preparar pessoas, o que também pede treinamento e desenvolvimento de técnicas de gestão.”

4. Planejamento é a chave para a sustentabilidade do crescimento

Leise Scabini abriu sua primeira franquia da Hope, loja especializada em roupas íntimas femininas, em 2005. Hoje, ela possui oito lojas: sete na Bahia e uma em Sergipe. Até o fim do ano, quer abrir mais uma unidade no último estado.

Segundo a empreendedora, ser multifranqueado é um trabalho que se faz com muito planejamento e com uma boa gestão de riscos. “Hoje, as marcas querem e precisam se multiplicar, com pessoas que também querem ser grandes e que sabem crescer. As marcas procuram parceiros responsáveis e batalhadores”, conta Leise.

Crescer não é só abrir mais uma loja: é preciso estudar o potencial do mercado alvo e compreender quem você irá atender, por exemplo. “Isso requer uma avaliação estratégica do negócio, em parceira com o franqueador. Crescer de forma sustentável é muito importante para obter sucesso como multifranqueado.”

Xambre, do grupo Afeet, completa o raciocínio e ressalta a importância de olhar indicadores na hora de montar seu planejamento sustentável e lutar contra a crise econômica. Na vida de um multifranqueado, isso é muito atrelado à formação de funcionários que consigam apresentar dados relevantes para a avaliação estratégica do empreendedor: ou seja, que cuidem do operacional de forma eficiente.

“Existem profissionais de varejo hoje que realmente entendem termos como controle de fluxo e taxa de conversão, por exemplo. Com isso, eu consigo fazer uma avaliação semanal de cada unidade minha: posso saber se o time é bom; se minha loja não está indo muito bem e por quê; quantas peças foram agregadas em cada pedido atendido; e quantas pessoas que entraram na minha loja compraram, entre outros dados essenciais para o sucesso”, diz o empreendedor.

A obtenção de indicadores e métricas na operação é mais uma característica que define multifranqueados de sucesso. “Mais do que ter informações, eles têm uma rotina de acompanhamento constante. Não adianta ter indicadores se você não os olha”, diz Stockler.

“Eles sabem na ponta da língua o que acontece em seus negócios. Mesmo com muitas operações, não deixam de estar presentes e pensar em estratégias.”

5. Cada nova região pede um novo aprendizado

Thiago Grigato é multifranqueado da rede de educação profissionalizante Cebrac: ele abriu sua primeira unidade em 2003 e hoje possui cinco unidades operando, cada uma em um estado brasileiro diferente. Para este ano, mais duas novas franquias suas estão a caminho.

O empreendedor dá uma dica caso você queira ser multifranqueado e trabalhar em regiões diferentes: é preciso se adaptar aos locais de atuação, conversando muito com sua franqueadora.

“Um desafio foi conseguir coordenar todos os gestores ao mesmo tempo, mantendo o padrão da franquia, mas também atendendo às particularidades de cada região. Por exemplo, há cidades com educação profissionalizante mais voltada à indústria e outras que preferem o setor de serviços. Você recebe uma franquia formatada, mas é preciso perceber a forma com que a população lida com a franquia.”

Por isso, Grigato recomenda procurar um franqueador que esteja aberto a essa flexibilidade relativa da unidade franqueada: manter o padrão que o negócio pede, mas não chegar engessado aos novos locais de operação.

Barros, da Doctor Feet e da Outer Shoes, completa que esse reaprendizado com a nova operação vale para o próprio empreendedor, principalmente se ele apostar em um segmento novo.

“Você tem que reaprender a forma de lidar com o negócio, com funcionários e com consumidores, apesar de já ter um suporte do franqueador. A pessoa tem que ser persistente mesmo, porque a rotina é intensa: é preciso conversar bastante com a rede, participar de cursos, fazer muitas leituras e realmente lutar para reaprender todo o processo, mais uma vez.”
Fonte: Exame
Tags: Franquias, Dicas, Empreendedorismo
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
inadimplência consumo comércio eletrônico supermercados são paulo ecommerce comércio vendas franquias shoppings ipi faturamento natal economia veículos crédito varejo preços indústria e-commerce

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront