Quinta-feira, 02 de Junho de 2016
11 ações para superar a crise no varejo 11 ações para superar a crise no varejo
A 8° edição da revista Prevenção de Perdas reuniu importantes dicas de diversos especialistas para ajudar os varejistas a superarem as incertezas da crise

Maio 2016 - A nova edição da Revista Prevenção de Perdas, produzida pela Gunnebo, foi lançada no início do mês de maio, durante a feira APAS e traz para o mercado, dicas de como superar a crise e continuar lucrando. No último ano, o varejo brasileiro sofreu queda de 4,3%, a maior da história, segundos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com isso, cerca de 100 mil lojas encerram suas atividades em 2015 e em março deste ano o comércio obteve o pior saldo de demissões.

Para ajudar varejistas e profissionais do varejo a lidarem com a crise, a 8° edição da revista Prevenção de Perdas focou exatamente neste tema, trazendo opiniões e importantes dicas de diversos especialistas da área para que o setor possa superar esse momento difícil e de constante incerteza. Separamos as 11 mais importantes, confira:

1 – Proteja suas margens de lucro e mantenha-se competitivo

“As margens do varejo são muito apertadas. Reduzir investimentos em prevenção de perdas é aumentar significativamente a desvantagem competitiva em relação às outras empresas”
Cláudio Felisoni, presidente do Ibevar

2 – Faça o controle das perdas para ampliar seu lucro

“Um ponto de venda pode parecer rentável, mas se não houver a medição correta da sua perda, essa visão pode ser distorcida e ao invés de lucro ele dá prejuízo”
André Ochoa, consultor de Segurança Empresarial, Prevenção de Perdas, Auditoria e Riscos

3 - Escolha bons profissionais

O capital humano é essencial na área de prevenção de perdas. A preocupação não é só treinar e capacitar sua equipe, mas contratar pessoas com características e comportamento éticos bem definidos. “Muito do sucesso dos grandes varejistas se deve à contratação de pessoas “chaves” com qualidades e princípios. Não adianta treinar colaboradores que só identificam onde estão os gaps e brechas nas lojas, mas é preciso ter aqueles comprometidos e que entendam a cultura da empresa”
Nuno Fouto, diretor do Provar e Ibevar

4 - Acabe com o confinamento de produtos

“Esconder” as mercadorias no armário, mesmo as de alto risco, afeta negativamente seus resultados. Gancheiras, etiquetas e protetores acrílicos de policarbonato possibilitam a exposição de produtos e acessórios, que impactam diretamente no crescimento dos seus negócios.

5 – Permita ao cliente conhecer o produto

Permita ao cliente testar e explorar os recursos de um produto, como um tablet, notebook, máquina fotográfica ou telefone celular. A medida aumenta a chance de venda.

6 - Iniba a ação das pessoas mal-intencionadas

Vigie e proteja sua loja com o uso de antenas antifurtos. Afinal, em tempos de crise econômica, o índice de desemprego cresce e o consumo despenca no varejo, criando cenários propícios para ações de pessoas mal-intencionadas.

7 – Busque alternativas para manter o cliente em foco

Uma abordagem mais pessoal, restrita, menos constrangedora e, principalmente, mais segura. Essas são as grandes vantagens da Antena de Checkout com tecnologia acusto magnética (AM). “Quando a abordagem ocorre no caixa é possível que a operadora bem treinada permita a identificação do produto e o desative de forma mais rápida e eficiente”, argumenta Kátia Zenaro, da Gunnebo.

8 – Atraia clientes pela comunicação visual

A escolha dos equipamentos adequados para a prevenção de perdas é fator-chave para a exposição dos produtos. Para Iara Jatene, sócia-diretora da A6 Design, cada vez mais o design envolve não apenas aspectos visuais, mas principalmente funcionais. Um bom projeto consegue organizar o fluxo de clientes e aproximá-los da maior gama de produtos possível. Da mesma forma, para prevenir perdas, o layout deve favorecer ampla visualização de todas as áreas da loja.

9 – Compartilhe e multiplique as ações na empresa

Identificados os tipos de perdas, de acordo com a consultora de prevenção de perdas Gabriele Feitosa, é preciso corrigir falhas, montar fluxos de cada processo, criar controles e treinar, compartilhar e multiplicar todas as ações que façam a diferença no resultado final – desde gastar menos nas ligações telefônicas até evitar o vencimento de mercadorias em estoque. “Combine isso com uma avaliação macro em indicadores objetivos e você tornará ainda mais dinâmicas e eficientes as análises e ações para redução de perdas”, diz.

10 - Faça um bom acompanhamento de seu estoque

“Um estoque sem acompanhamento e organização traz sérios problemas à operação da loja. Às vezes você pode ter em estoque um material ruim ou até demais. Sem controle, suas vendas são impactadas. Mas para ter um bom controle, inclusive com perdas, é preciso que se tenha um cadastro bem feito, um registro correto das entradas, saídas e devoluções”, Nuno Fouto, diretor do Provar e Ibevar

11 - Motive sempre a sua equipe de colaboradores

Para o consultor de prevenção de perdas André Ochoa, as pessoas devem ser treinadas constantemente, pois há um turnover grande no varejo. “É preciso engajá-las aos processos criados, motivá-las diariamente e sempre inserí-las nas práticas preventivas. Como resultado você terá o comprometimento de toda equipe em busca dos resultados. A equipe de prevenção de perdas deve ser qualificada e motivada para disseminar a cultura dentro da organização”, diz.

Para saber mais sobre as novidades do setor e tecnologias da empresa, faça o download da Revista Prevenção de Perdas 2016: (http://info.gunnebo.com.br/revista-prevencao-de-perdas-2016)

Sobre a Gunnebo Brasil - www.gunnebo.com.br

Com sede na Suécia, a Gunnebo está presente em 32 países e realiza negócios em mais de cem nações. É especializada em soluções de segurança física e eletrônica, gestão de numerário e controle de acesso. Emprega aproximadamente 5.500 colaboradores em todo o mundo e faturamento anual de 660 milhões de euros.

No Brasil, destaca-se como fornecedora de soluções antifurto para o varejo (antenas, etiquetas protetoras, desativadores de etiquetas, cadeados eletrônicos, CFTV e acessórios, além de contadores de fluxo de pessoas, cofres inteligentes (Intelisafe) e uma ferramenta de monitoramento de PDV (Gatecash). A empresa é referência em prevenção de perdas para clientes como Walmart, Y.Yamada, Sonda, Atacadão, Besni, C&A, Riachuelo, Marisa, Raia Drogasil, Brasil Pharma, Leroy Merlin, Livrarias Saraiva, Fnac e Lojas Americanas, entre outros.
Fonte: Maxpress
Tags: Varejo, Crise, Dicas
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
preços indústria inadimplência comércio eletrônico crédito shoppings comércio veículos faturamento supermercados economia ecommerce natal são paulo franquias consumo vendas e-commerce varejo ipi

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront