Quarta-feira, 18 de Maio de 2016
Cuidado! Conheça os riscos de investir numa microfranquia Cuidado! Conheça os riscos de investir numa microfranquia
Vamos começar entendendo o que são franquias home-office, home-based ou ainda microfranquias. Tudo muito parecido ou igual mesmo, pois são negócios que operam através de franquias e:

- Não exigem um local fixo para instalar o negócio, geralmente instalados na própria residência do franqueado e/ou pequeno veículo;

- Com investimento total de até R$80 mil.

A percepção que os potenciais interessados têm desses negócios é que eles são baratos; valem o investimento, pois estão “do tamanho do meu bolso”; e são franquias, portanto, é garantido que vai dar certo. Será?

Vejamos quantas são estas franquias no mercado brasileiro: Em 2012 tínhamos 32 franquias; em janeiro de 2016 esse número quase dobrou para 56 marcas. Já o número de unidades instaladas em 2012 era de 2.528 e quase dobrou em janeiro de 2016, com 4.232 franquias em operação.

Quando avaliamos estas redes pela média de unidades por franqueadora os números aparecem de ordem inversa. Crescem demasiadamente as novas franqueadoras e a quantidade de unidades franqueadas começa a cair na mesma proporção.

A conclusão: estas franquias começam a fechar mais do que abrem, não conseguindo consolidar seus modelos.

A origem deste processo de fechamento pode ser identificada pela absoluta falta de experiência dos franqueadores na operação destes negócios. Quase 60% destes franqueadores lançaram franquias no mesmo ano em que fundaram seus negócios.

Uma saída para o grande fechamento destas franquias e o crescimento de desavenças com franqueados tem sido lançar novas franquias em diferentes setores. Das franquias que estão no mercado há mais de dois anos, 78% dos franqueadores possui uma média de quatro negócios diferentes e, para cada negócio, há 3 diferentes modelos.

Será possível apresentar conhecimento e experiência em tantos negócios diferentes com tantas variações de modelos sem nunca ter experimentado estes mesmos negócios?

A solução esperada para estas franquias, que se caracterizam pela absoluta falta de conhecimento no negócio, seria partir para a busca de experiência (por exemplo, operando várias unidades próprias em diferentes mercados) no negócio. Mas o caminho adotado tem sido contrário com o lançamento de vários negócios inexperientes multiplicados por diversos modelos tão inexperientes quanto.

É muito arriscado investir numa franquia home-office neste momento!

Sim, é muito arriscado investir numa destas franquias neste momento, principalmente pelo baixo nível de estruturação da maioria destes negócios. Em franquias, a falta de experiência do franqueador no negócio não pode ser compensada pelo baixo investimento exigido dos potenciais franqueados.

Aliás, baixo investimento deve ser observado sob a ótica de quem realiza o investimento. Para muitos que investiram neste tipo de negócio o investimento é muito alto, pois comprometeu todos os recursos que eles possuíam.

Então, para essas pessoas, “baixo risco com alto retorno” torna-se “alto risco com baixo retorno, ou talvez nenhum”.

Como separar o joio do trigo, minimizando riscos e otimizando resultados

Nem todos os conceitos de franquia de baixo custo são ruins ou mesmo com baixo nível de estruturação. Investimento inicial, demanda do mercado para o produto ou serviço, taxa de franquia, potencial de receita, e as disposições contratuais são apenas alguns dos fatores que você deve considerar com cuidado antes de pensar em entrar numa rede desse tipo. No entanto, peneirar dezenas de oportunidades para descobrir qual delas deverá atingir seus objetivos financeiros e pessoais pode ser tedioso e complicado.

Para não se perder, siga estes passos:

Passo 1 - Identificando o melhor investimento entre as franquias home-office

Não se iluda: a melhor oportunidade deve ser avaliada pela sua forte identificação com a atividade. Nunca comece a olhar franquias sob a necessidade de investimento. Nenhum negócio será viável ou terá a geração de riqueza anunciada se você não tiver o necessário empenho e prazer em fazer o negócio acontecer.

Tenha em mente que em negócios não há milagres! O baixo custo de uma franquia será compensado com outro aporte de capital: seu trabalho!

Se uma das características das franquias home-office é lhe proporcionar um trabalho com tempo parcial, tenha clareza que o retorno do investimento não deve ser calculado sobre o valor colocado no negócio, mas ao tempo dedicado a ele.
Pior do que ter um emprego do qual não se gosta é ter um negócio com o qual não nos identificamos!

Passo 2 – Muito bem, você escolheu a franquia de serviços domésticos ou aquela esmalteria? Vamos em frente!

Algumas razões devem direcionar a sua escolha para o negócio, verifique se esta escolha inicial poderá lhe proporcionar:
Conceito do negócio – você deve ter gostado do jeito como o negócio é apresentado e em especial, mesmo que preliminarmente, ter projetado sua atuação no dia a dia da operação;

Uma direção orientada – uma boa franquia lhe dará uma direção, um norte na condução do negócio. Isto acontecerá se o franqueador efetivamente lhe passar instruções e orientações de como identificar e atacar o mercado para o negócio, os materiais de marketing e propaganda com que você poderá atuar e a preparação necessária para entregar o serviço vendido e controlar as receitas e despesas do negócio.

Passo 3 – Mais informações - é disso que você precisa agora!

Busque mais informações sobre o negócio diretamente com o franqueador e já comece sua avaliação pela forma como foi atendido e, sobretudo, a velocidade na resposta das informações solicitadas.

Regule sua expectativa. Nesta fase você estará apenas interessado em “namorar”. Não espere receber informações que possam atender plenamente a sua expectativa. Tenha calma, você não vai se casar, apenas e talvez iniciar um “namoro”.

Muita atenção: se já nesta fase inicial você perceber que está sendo atendido por um corretor de franquias, um consultor externo ou qualquer intermediário, comece avaliando de forma negativa a franquia que você acaba de selecionar.

Passo 4 – Conheça a franqueadora e esclareça aquilo que lhe será entregue ao investir na franquia

Antes de iniciar a avaliação é importante conhecer e entrar na casa de sua “futura sogra”. Você precisa projetar como ficará a sua casa ao fazer este reconhecimento.

Conheça a franqueadora e sua estrutura de apoio aos franqueados e busque comparar imediatamente aquilo que você viu nas fotos ilustrativas do negócio em que ficou interessado. É muito comum você não encontrar nada daquilo que te interessou.

Mesmo que você tenha ido ao escritório da franqueadora e nada encontre por lá, peça para conhecer uma unidade própria e faça nela a mesma avaliação – a foto ilustrativa que te encantou tem algo parecido com o negócio que você está procurando?

Observe se neste mesmo local são oferecidos negócios diferentes, e até mesmo se lhe foi oferecido. Depois avalie se este franqueador consegue ser especialista em tantos negócios diferentes.

Aproveite para conhecer o programa de treinamento oferecido e o local onde ele é ministrado e, muito importante, peça a COF (Circular de Oferta de Franquias) – documento legal que a franqueadora é obrigada a te entregar no prazo de 10 dias antes de você assinar qualquer compromisso ou mesmo pagar qualquer valor.

Alguns franqueadores deverão protelar ou mesmo postergar a entrega deste documento, tentando amarrá-lo à decisão de compra da franquia. Se isto acontecer não se intimide e assine no máximo o recibo de entrega da COF e, nada mais!

Muita atenção (1): se nada do que aqui foi relatado aconteceu, pois você foi atendido por intermediários, então fuja deste negócio. Se o franqueador não tem capacidade para vender sua franquia, pode apostar que ele não está preparado para entregar aquilo que foi vendido por terceiros.

Muita atenção (2): cuidado com o franqueador “bonzinho”, aquele que no momento de venda aceita todas as suas reivindicações. Concentre seus esforços naquele franqueador que lhe diz “não” com a devida explicação. Se o franqueador aceita mudanças sugeridas por candidatos, ele demonstra que não tem o menor apreço por padrão, ou mesmo que o negócio não tem padrão algum.

Passo 5 - Mergulhe na COF

Leia o documento de divulgação da franquia (a COF - Circular de Oferta de Franquia) com muito cuidado. Este documento define claramente o que o franqueador irá fazer por você e também o que ele espera como seu desempenho à frente do negócio.

Está na lei que este documento deve ter linguagem clara e você deve buscar esta clareza comparando tudo o que você viu com aquilo que está escrito e formalizado no documento.

Há uma enorme série de itens que você deve avaliar cuidadosamente, mas, de forma resumida, compare:

- As referências que você recebeu sobre este negócio, através de matérias da imprensa, sites da internet de vendas de franquias e tudo mais;
- Tudo o que você viu e ouviu na empresa franqueadora e numa eventual unidade própria;
- Tudo aquilo que a franqueadora pretende lhe entregar no treinamento;
- Tudo o que você leu na COF e o que consta do Contrato de Franquia, um anexo obrigatório.

Há um mínimo de coerência entre estes documentos e depoimentos?

Coerência, como assim? É muito comum você buscar uma esmalteria para montar em casa e entrar num luxuoso estabelecimento com várias cadeiras de atendimento. Afinal, o que você estava buscando mesmo?

Agora busque na COF a lista com todos os franqueados ativos no negócio que devem estar listados por endereço, contato e também referências dos franqueados que se desligaram nos últimos doze meses.

Passo 6 – É franquia, então converse com todos os ex-maridos e os atuais da sua pretendente!

Se você já conheceu a casa de sua futura e pretensa sogra, chegou a hora de conversar com pelo menos quatro (no mínimo) franqueados do negócio e, também com aqueles ex-franqueados que deixaram a franquia.

Você precisa saber se tudo aquilo que lhe é prometido antes será entregue após a celebração do casamento.

Muita atenção (1): aproveite e pesquisa sites como Reclame Aqui, Reclamão e outros. Cada vez mais ex-franqueados descarregam sua ira contra estas pequenas franquias. Mais do que apenas ler as reclamações dos franqueados veja com muita atenção as respostas dos franqueadores que, em muitas situações, se escudam por prêmios e selos de excelência atestados por entidades do setor ou mesmo de revistas especializadas.

Muita atenção (2): consulte o site www.boxfranquias.com.br e veja depoimentos de franqueados para os mais diversos tipos de suporte que recebem ou mesmo que gostariam de receber de seus franqueadores.

Passo 7 – E agora? Faça tudo novamente com as outras franquias que você quer avaliar

Siga cada passo novamente para cada uma das oportunidades que você está avaliando. Após uma comparação, sua decisão deve ser por aquela franquia que lhe apresentou maior coerência entre o negócio ofertado e aquele efetivamente entregue.

Passo 8 – Chegou a hora de avaliar o investimento exigido

Finalmente você deverá olhar para o investimento exigido contra o capital que você tem disponível para colocar no negócio.
Se você foi persistente passando cuidadosamente por cada um dos passos e descobriu que não tem o capital mínimo para o investimento, não desista e corra atrás.

Comece passando o “chapéu” com a família, amigos. Fale novamente com o franqueador e verifique se ele possui alguma facilidade para os investimentos como parcelamento ou mesmo financiamentos.

Passo 9 – Pare ou vá em frente! Boa sorte, que certamente estará associada a muito, mas muito trabalho.

Marcus Rizzo é especialista em franquias.
Fonte: Exame
Tags: Riscos, Investimento, Microfranquias, Franquias, Franchising, Empreendedorismo
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
varejo supermercados comércio consumo vendas economia veículos indústria crédito natal ecommerce inadimplência preços faturamento shoppings comércio eletrônico franquias ipi e-commerce são paulo

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront