Terça-feira, 10 de Maio de 2016
Na contramão da crise, comerciantes investem em vendas pela internet Na contramão da crise, comerciantes investem em vendas pela internet
Na contramão da crise, comerciantes investem em vendas pela internet Para consumidores, adquirir produtos pela web é mais fácil e vantajoso. Setor cresceu 89% no passado, segundo balanço da E-commerce Brasil.

O setor de vendas-online está na contramão da crise. Para consumidores da região, ter um produto à venda 24 horas por dia é uma facilidade. Outra mordomia é não precisar ir até a loja. Comerciantes também veem vantagens, já que muitas vezes não é preciso contratar funcionários nem se preocupar com gastos como água e energia elétrica. Balanço da E-commerce Brasil, divulgado em março, mostra que esse tipo de comércio cresceu 89% de 2014 para 2015.

“Eu posso vender 24h por dia, no sábado, domingo, feriado. Além disso, tenho uma expansão territorial muito maior. Em vez de vender só na região, vendo para o Brasil inteiro”, diz o lojista de São Carlos (SP) Marcelo Honorato Maleta, que resolveu apostar na internet para manter o faturamento.

Devido à queda na renda dos consumidores e do aumento na taxa de juros o comércio em geral fechou o ano de 2015 com queda de 4,3%, o pior resultado desde 2001. Com o movimento fraco na loja, Maleta decidiu apostar na web. “De final de semana, de madrugada, sempre tem gente no site”, disse. Segundo ele, o serviço ajuda a divulgar também a loja física.

Os clientes também aprenderam a comprar pela internet. “É mais fácil encontrar. A maquiagem, por exemplo, que é mais cara em alguns lugares, na internet você encontra a preços mais acessíveis”, disse a estudante Ana Evelly de Oliveira. “Procuro por livros, algumas edições que você não encontra na cidade, por enquanto nunca tive problema”, completou o comerciante Deives André de Souza.

Oportunidades

Em meio a crise, investir na internet pode ser uma estratégia para manter as vendas e não precisar fechar as portas. Ter um canal a mais de atendimento pode ser uma boa oportunidade, diz Diego de Souza, consultor do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP).

“É bom também para as pessoas que estão informais ou que perderam o emprego em um momento econômico complicado. Com o e-commerce há a possibilidade de atingir um segmento de clientes maior”, disse.

Para ter bons resultados, entretanto, é preciso planejamento, investimento em divulgação e cuidado com os riscos. “Precisa ter uma logística muito bem interessante, direcionar a página, utilizar de estratégias para que seja bem visto no mercado. Da mesma maneira que a internet é um campo bom de atuação, cometer algum erro pode colocar o negócio por água abaixo”, ressaltou o consultor.
Fonte: G1 São Carlos e Araraquara
Tags: Crise econômica, Comerciantes, Vendas, Internet, Vendas online
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
faturamento comércio eletrônico consumo inadimplência ipi franquias vendas preços varejo shoppings e-commerce são paulo ecommerce economia veículos supermercados indústria crédito natal comércio

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront