Quinta-feira, 07 de Abril de 2016
Grandes empresas varejistas fecham lojas na Grande Vitória Grandes empresas varejistas fecham lojas na Grande Vitória
Grandes e tradicionais empresas presentes no mercado capixaba fecharam as portas de lojas no primeiro semestre de 2016, na Grande Vitória. Um exemplo disso é a popular loja do varejo de moda C&A, que encerrou, neste sábado (2), as atividades no Centro de Vitória, iniciadas em 1983.

Procurada pela reportagem, a marca esclareceu que o fechamento faz parte da avaliação de performance das unidades em relação ao esperado.
As tradicionais livrarias Logos, com 23 anos de atuação no Shopping Vitória, e Leitura, com 14 anos, também fecharam as portas de suas unidades no centro comercial. As razões dadas pelas livrarias se assemelham.

O diretor administrativo da capixaba Logos, Humberto Rosa Oliveira, explicou que houve uma diminuição forte de demanda em razão do e-commerce. “A loja do shopping já dava prejuízo há quase quatro anos. Como nós conservamos aquele conceito tradicional de livraria, sofremos muito com a concorrência do e-commerce”, disse.

Esse discurso é compartilhado pelo sócio-proprietário da rede Leitura e responsável pela unidade do Shopping Vitória. “O custo aqui é muito alto. Também tivemos alguns problemas trabalhistas e isso acabou agravando a crise existente no mercado de livros”, destacou.

O grupo Dadalto, que passa por recuperação judicial desde o final de 2015, fechou uma loja D&D em Campo Grande, em Cariacica, e a Dadalto do Shopping Mestre Álvaro, na Serra.

Em nota, a empresa informou que “optou pela unificação de pontos comerciais na Grande Vitória, concentrando sua força de vendas, com o objetivo de garantir aos clientes o alto padrão de atendimento e qualidade”.

“Há uma debandada grande de empresários que não têm outra alternativa senão fechar estabelecimentos ou diminuir sua oferta ao mercado, porque não há uma luz no fim do túnel. Essa situação não é somente no Espírito Santo, ela é em todo país. A situação econômica é muito grave, mas um dos grandes calos que temos é em relação à política”, pontuou o presidente da Fecomércio, José Lino Sepulcri
.
Cláudio Sipolatti, presidente da CDL Vitória, concorda. “A crise está atrapalhando o grande, o médio e o pequeno, gerando desemprego em cada loja fechada. Isso tudo porque estamos dentro de um cenário de extrema desconfiança do consumidor, que não sabe se terá emprego e até quando. O empresário só pode trabalhar mais. Mudar as coisas, tentar enxergar de outro ângulo, fazer mais pelo consumidor, brigar mais por ele”, falou.

Junto das livrarias, o Shopping Vitória também teve baixas de lojas como Fantasia e Habitat. O centro comercial informou “que essas e as demais áreas serão ocupadas, nos próximos meses, por novas lojas das marcas Quem disse, Berenice?, Tommy Hilfiger Kids, Constance, The Beauty Box e Cia Marítima”, informa a nota enviada.
Fonte: A Gazeta
Tags: Grandes empresas, Varejo, Vitória, Espírito santo, Mercado capixaba
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
indústria são paulo inadimplência crédito preços ecommerce comércio economia franquias vendas veículos consumo ipi supermercados varejo faturamento shoppings e-commerce natal comércio eletrônico

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront