Terça-feira, 01 de Março de 2016
Magazine Luiza avança nas vendas digitais e reforça seu caixa em 2015 Magazine Luiza avança nas vendas digitais e reforça seu caixa em 2015
São Paulo, segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016 - O Magazine Luiza, uma das maiores redes de varejo e eletroeletrônicos do país, acaba de apresentar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) seu resultado fiscal do quarto trimestre e do ano de 2015.

Mesmo diante de um dos cenários macroeconômicos mais adversos das últimas décadas, com queda do Produto Interno Bruto brasileiro e dos níveis de confiança do consumidor, a companhia registrou aumento de participação em seu mercado. No consolidado do ano de 2015, as vendas totais atingiram 10,5 bilhões de reais, um recuo de 8,7% em relação a 2014 – um percentual significativamente inferior à queda média do setor de varejo de eletroeletrônicos e móveis.

O avanço das vendas digitais, que representaram 21,1% do faturamento do quarto trimestre de 2015, foi fundamental para a ampliação da fatia de mercado do Magazine Luiza. Paralelamente, a margem bruta do período foi ampliada em 1,1 ponto percentual. O Magazine Luiza também registrou fortalecimento e aumento expressivo da geração de caixa operacional, além de redução da dívida líquida.

Avanço do e-commerce e conquista de mercado
No quarto trimestre de 2015, as vendas do e-commerce aumentaram 19,1%, passando a representar 21,1% do faturamento total da companhia no período – resultado de melhorias no sortimento de produtos oferecidos e de inovações como o lançamento do aplicativo de vendas para smartphone que, em apenas quatro meses, conquistou mais de 1 milhão de usuários.

O avanço consistente da operação digital – centro da estratégia do Magazine Luiza para os próximos cinco anos -- foi o principal motor da conquista de mercado do Magazine Luiza ao longo do ano. Em 2015, o faturamento total da companhia atingiu 10,5 bilhões de reais – 8,7% inferior ao registrado no ano anterior, consequência das dificuldades impostas pelo cenário macroeconômico recessivo. Essa redução, no entanto, foi inferior à queda média do setor no período -- o que levou à ampliação da fatia de mercado da rede.

Foco na Geração e Fortalecimento do Caixa e Redução da Dívida Líquida
A preservação e o fortalecimento do caixa é prioridade da gestão do Magazine Luiza. Isso fica evidente quando se analisam os resultados consolidados de 2015. A companhia terminou o ano com um caixa de mais de 1,1 bilhão de reais, contra 863,1 milhões de reais registrados em dezembro do ano anterior.

Trata-se de um volume de recursos significativamente superior às dívidas de curto prazo, que totalizam 568,4 milhões de reais. No final de dezembro de 2015, a dívida líquida ajustada do Magazine Luiza era de 488,9 milhões de reais. Como consequência, a relação entre dívida líquida ajustada e Ebitda também melhorou, passando de 2,3 vezes para 1,1 vez.

O fortalecimento da posição de caixa é explicado por dois movimentos. O primeiro: a expressiva melhoria da geração de caixa operacional – de 218,5 milhões de reais no quarto trimestre de 2014 para 614,4 milhões de reais no mesmo período do ano passado. No consolidado de 2015, o Magazine Luiza registrou uma geração de caixa operacional de 428,2 milhões de reais – resultado quase cinco vezes superior ao alcançado em 2014 (91,1 milhões de reais). O segundo foi a renovação por um período adicional de 10 anos do acordo para venda de seguros entre Magazine Luiza e BNP Paribas Cardif, realizada em dezembro do ano passado e que injetou 330 milhões de reais na companhia.

Crescimento da margem bruta e controle de custos
A conquista de participação de mercado por parte do Magazine Luiza em 2015 foi acompanhada por ganhos de margem bruta: 28,4% no último trimestre de 2015, 1,1 ponto percentual acima do registrado no mesmo período do ano passado.

A preservação da margem, a despeito da ampliação de mercado, é consequência de medidas de gestão como a melhoria do mix de produtos e início da cobrança por serviços de frete e montagem. No consolidado do ano, as despesas operacionais cresceram apenas 0,1%, mesmo considerando o aumento dos custos com marketing e o impacto da alta de 10,7% na inflação do período.

No último trimestre de 2015, o Magazine Luiza registrou um prejuízo líquido de 52,4 milhões de reais.

Luizacred e Luizaseg
A financeira Luizacred, associação entre o Magazine Luiza e o Itaú, aumentou em 3,9% sua base de cartões de crédito em 2015, atingindo 3,6 milhões de unidades. A carteira do Cartão Luiza, por sua vez, totalizou 3,8 bilhões de reais – um crescimento de 6,5% em relação ao ano anterior. No quarto trimestre de 2015, o lucro da Luizacred foi de 7,9 milhões de reais. No consolidado do ano, o resultado atingiu 123,3 milhões de reais.

A Luizaseg, braço de seguros do Magazine Luiza, por sua vez, lucrou 27,9 milhões de reais em 2015, crescimento de 51,3% em relação a 2014.
Fonte: Divulgação
Tags: Magazine luiza, Vendas digitais, Empresas, Varejo, Eletroeletrônicos
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
varejo supermercados shoppings comércio inadimplência crédito são paulo e-commerce consumo franquias indústria ecommerce economia comércio eletrônico faturamento veículos ipi vendas natal preços

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront