Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2016
Vendas no comércio de Teresina caíram mais de 20% em seis meses Vendas no comércio de Teresina caíram mais de 20% em seis meses
O comércio varejista é o setor que mais tem sofrido com a crise no País. Por conta da economia brasileira que anda abalada, os consumidores estão evitando gastos supérfluos, como roupas e calçados, para investir em setores mais necessários, como em alimentação e transporte. Com isso, muitas lojas, principalmente do Centro de Teresina, estão praticamente vazias, o que está acarretando em pouco lucro e, inclusive, em demissões.

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (16), apontam que o mês de dezembro encerrou com queda de 2,7% das vendas no varejo, com relação ao mês anterior, em todo o País. Esse recuo ocorreu após dois meses seguidos de variações positivas, quando acumulou crescimento de 1,9%.

Porém, segundo o gerente de uma loja de vestuários no Centro da capital, Paulo Roberto Alves, esse percentual de queda foi muito maior, sobretudo nos últimos seis meses, quando de fato a crise se instalou. “Quem trabalha no comércio sente muito mais essa crise, e eu acredito que tenha caído mais de 20%. As pessoas estão comprando menos e coisas mais baratas”, disse.

Ele acrescentou que muitos distribuídos e que fazem revenda de mercadorias acabaram falindo e fechando as empresas, além de algumas lojas de menor porte. Essa crise também teve reflexo nas contratações provisórias, que foram menos que no mesmo período do ano passado, e não chegaram a ser efetivadas.

O lojista acrescentou que todos os colaboradores que foram contratados no período de final de ano, foram dispensados, e ainda há risco de alguns funcionários serem demitidos. “Estamos fazendo o possível para manter todos trabalhando, mesmo com as condições não sendo as melhores, mas porque sabemos que todos precisam trabalhar. A gente está se esforçando, mas se continuar nessas condições, nós vamos ter que demitir algumas pessoas. O comércio está parado, muito vazio, e isso é em todas as lojas, de todos os setores”, enfatizou.

O presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí (Sindilojas), Luís Antônio Veloso, destacou que a queda no comércio foi significativa, não somente em Teresina, mas todo o Estado. Contudo, ele explicou que esse recuo era uma expectativa dos lojistas, devido à crise, que afetou principalmente os varejistas.

“Essa crise gerada acabou atingindo todo mundo e os resultados foram esses, poucas vendas. Mas muito se deve também à falta de expectativas das vendas e das pessoas, que deixaram de comprar. O que nós esperamos é que se tudo se estabilize e melhore nos próximos meses e que as pessoas tenham esperança”, falou o presidente do Sindilojas.

Apesar da servidora pública Gilvânia Holanda admitir ser consumista, principalmente com roupas e calçados, ele explicou que tem evitado fazer a compra desses produtos. Segundo ela, os serviços não sofreram aumento do preço, porém, as pessoas estão mais cautelosas ao gastarem seu dinheiro.

“A crise abalou muito o comércio, é perceptível, porque as lojas estão muito esvaziadas e com promoções. Mas eu acredito que atinge principalmente as pessoa que não têm renda fixa, que dependem da venda diária para poderem tirar seu sustento. Quem sobrevive do comércio e recebe um valor fixo talvez não sinta tanto”, disse.

A servidora pública ainda acrescentou que as pessoas estão evitando gastos com bens supérfluos, como roupas, e usando o dinheiro para fazer o pagamento de contas e investindo em outros setores, como alimentação.
Fonte: Jornal O DIA
Tags: Vendas, Comércio, Teresina, Crise
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
vendas inadimplência comércio eletrônico indústria shoppings natal e-commerce são paulo varejo preços franquias comércio ecommerce consumo veículos economia crédito ipi supermercados faturamento

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront