Sexta-feira, 06 de Novembro de 2015
CNC revisa projeção de vendas no Natal de 2015 para queda de 4,8% CNC revisa projeção de vendas no Natal de 2015 para queda de 4,8%
Juros altos, inflação persistente e menos confiança do consumidor levaram a Confederação Nacional do Comércio de Bens e Serviços (CNC) a revisar a projeção de volume de vendas natalinas em 2015 para um recuo de 4,8%, em comparação com 2014. A estimativa anterior previa uma queda de 4,1%, informou a entidade, nesta quinta-feira (5).

“Mesmo diante da perspectiva de queda atingindo seis dos oito principais segmentos do varejo em relação ao Natal de 2014, a data deverá movimentar R$ 31,76 bilhões neste ano”, afirmou, em nota.

Ainda segundo a confederação, “dificilmente o Natal de 2015 deixará de registrar a maior alta de preços desde o ano de 2002, quando os componentes dessa cesta registraram oscilação de 16,8%”.

Influência do dólar

A CNC analisou ainda que a taxa de câmbio sobre os preços ao consumidor deve impactar uma alta de 13,4% nos combustíveis e 11,9% nos ônibus intermunicipais, em relação ao ano passado.

“Por outro lado, passagens aéreas (-9%), aparelhos telefônicos (-5,6%) e máquinas fotográficas (-4%) estão mais baratos que no Natal de 2014”.

Temporários

A CNC informou ainda que a expectativa de que as vendas para o Natal registrem a primeira queda em 11 anos, deve levar o comércio varejista a ofertar menos vagas temporárias para a data, 138,6 mil.

Se confirmada a estimativa, entre setembro e novembro, o número de postos será o menor desde 2012, quando abriu 135,2 mil. A entidade revisou de -2,3% para -2,9%, em relação ao ano passado, a abertura de contratos de trabalhos temporários.

“A piora nas expectativas em relação ao faturamento real do setor afeta, naturalmente, de forma negativa a intenção de contratação de trabalhadores temporários”, analisou.

Já os segmentos de hiper e supermercados devem abrir 28,9 mil vagas, enquanto o de vestuário, 62,6 mil. Os dois setores devem responder por 65,9% dos trabalhadores contratados, de acordo com a confederação.

Por segmento

Segundo a entidade, o ramo de móveis e eletrodomésticos deve vender menos 17,6%, enquanto o de livraria e papelaria, 15,1%, em comparação com 2014. Juntos, eles correspondem às maiores perdas do setor. Esses segmentos devem liderar também a queda na oferta de vagas em 2015, de acordo com a CNC.
“À exceção dos segmentos de farmácias e perfumarias (1%) e de artigos de uso pessoal e doméstico (2,8%), todos os demais segmentos apontam para um resultado negativo na principal data comemorativa do varejo brasileiro”, informou.
Fonte: G1
Tags: Cnc, Vendas, Natal, Comércio
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
comércio eletrônico economia shoppings franquias inadimplência natal indústria veículos supermercados vendas e-commerce varejo preços ipi crédito consumo faturamento ecommerce são paulo comércio

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront