Sexta-feira, 02 de Outubro de 2015
Insegurança provoca queda nas vendas em Porto Alegre Insegurança provoca queda nas vendas em Porto Alegre
A sensação de insegurança pode estar causando uma retração no comércio. Uma pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Porto Alegre mostrou que houve em setembro uma queda nas vendas de 8,69% e uma redução na intenção dos consumidores de fazer compras, de 42,14%, como mostra reportagem do RBS Notícias (confira no vídeo). Esse foi o pior desempenho dos últimos quatro anos, conforme a entidade.

Para reverter o cenário, a CDL lançou nesta quinta-feira a campanha "Não dê voz e vez ao medo", que pretende incentivar as pessoas a circularem nas ruas. "Não é intenção que saiam a comprar, não é isso que a campanha pretende. É que volte à normalidade", explica o presidente da entidade, Gustavo Schifino, alertando para um risco de desemprego. "Se as pessoas não consumirem, aí sim a gente vai ter dificuldade de gerar emprego, renda, imposto, consumo. Então as pessoas devem perceber que não adianta deixar de transitar e consumir porque isso sim vai levar eles próprios a perderem os empregos."

Quem circula pelas ruas de Porto Alegre garante que a sensação de insegurança reflete na caminhada. A nutricionista Betina Soldateli deixou de ir a lugares que costumava frequentar, como lojas de rua. "Eu penso duas vezes hoje antes de sair de casa. Seja para ir ao restaurante, a lojas, eu tenho saído mais para o necessário mesmo."

Já o comércio tenta driblar o mau momento. No Centro de Porto Alegre, muitas lojas lançam promoções e descontos tentadores para atrair o consumidor. Uma loja chegou a anunciar: leve três e pague dois. Mas no interior do estabelecimento, o movimento é fraco. Em um comércio popular, qualquer peça é vendida por R$ 19 ou R$ 29. "Está muito parado o Centro de Porto Alegre, então tem que torrar a mercadoria, senão não vai pra frente", disse o gerente da loja, Adir Celso.

Já o dono de um padaria disse que o movimento caiu quase 20%. Ele trabalha no local há 50 anos e diz ter enfrentado várias crises. Assim como as anteriores, ele acha que essa também vai passar. "Isso é temporário, vai passar. Isso é passageiro. O povo vai ter dinheiro, vai ter confiança", disse João Antônio Klee.

Reforço do policiamento na Vila Cruzeiro ficará "enquanto for necessário", diz Jacini

Em entrevista ao RBS Notícias, o secretário de Segurança Pública, Wantuir Jacini, disse que "o cenário agora mudou", observou. "Nós estamos fazendo um planejamento para intensificar o policiamento nestas áreas que é objeto da reclamação do comércio." Ele negou que a presença de 150 policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOE) esteja fazendo falta em outra área da cidade, por ser tratar de um batalhão de recobrimento. "Está área tem um batalhão que faz o policiamento rotineiro." Disse ainda que o destacamento policial deve permanecer no local "enquanto for necessário". "Até que os problemas continuem aqui, o Batalhão vai continuar", complementou.

Jacini voltou a dizer que a Força Nacional de Segurança só é chamada para casos específicos, como o bloqueio de uma rodovia federal ou alguma situação em um presídio. "Mas por tempo determinado e por tempo curto por que a força nacional não pode ser empregada ad eternum." Os prefeitos de Porto Alegre, José Fortunati, e Novo Hamburgo, Luis Lauermann, defenderam abertamente a medida.

O secretário de Segurança passou o dia na Vila Cruzeiro, onde na última sexta-feira (25) um tiroteio matou um homem e feriu outros sete. Horas após o incidente, um ônibus foi incendiado o que forçou o fechamento do Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul por três dias, de sexta-feira a domingo (27). Jacini destacou que a operação montada no local, com 150 agentes do BOE, já resultou na prisão de 22 pessoas. "Quando há esses fatos que impactam na sociedade, nós temos que dar resposta imediata. E foi o que fizemos."
Fonte: G1 RS
Tags: Insegurança, Vendas, Porto alegre, Cdl, Comércio, Varejo
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
faturamento vendas comércio inadimplência preços varejo economia veículos natal indústria comércio eletrônico supermercados ecommerce são paulo shoppings e-commerce franquias crédito ipi consumo

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront