Segunda-feira, 15 de Junho de 2015
Vendas de smartphones são exceção na crise Vendas de smartphones são exceção na crise
São Paulo - Só os smartphones se salvaram da queda de vendas de produtos de maior valor, como geladeiras, lavadoras, televisores, carros e até imóveis, provocada pela crise.

Entre janeiro e março, a receita do varejo obtida com smartphones cresceu 34% em relação ao 1º trimestre de 2014, enquanto a média do setor de eletroeletrônicos em geral faturou 8% menos, aponta o levantamento da empresa de pesquisa GFK. No período, quase R$ 2 bilhões deixaram de entrar no caixa das lojas de eletroeletrônicos.

"A única coisa que está vendendo hoje é smartphone porque ele é o canivete suíço da era digital", afirma o diretor da GFK para telecomunicações, Oliver Roemerscheidt.

Com o bolso mais apertado, o consumidor está dando prioridade para a compra do produto porque ele agrega várias funções num único aparelho e funciona como um computador de bolso.

Marco Arruda, diretor de vendas da Motorola Mobility, conta que a sua empresa está a todo vapor para atender à demanda por smartphones.

Desde o fim do ano passado, trabalha em três turnos na fábrica de Jaguariúna, no interior do Estado de São Paulo.

Enquanto as fábricas de eletrodomésticos da linha branca demitem, a empresa está contratando 200 engenheiros para expandir a área de pesquisa e desenvolvimento.

Além do smartphone ser "objeto de desejo", Arruda atribui a alta de vendas a vários fatores. Um deles é que a telefonia no País está migrando para a nova tecnologia 4G e muitas operadoras estão com ofertas atraentes para o produto.

Também a base instalada de celulares no País é de aparelhos tradicionais que gradualmente estão sendo substituídos. De acordo com a GFK, de cada dez celulares vendidos, nove são smartphones.

Um dado que surpreende é que, apesar da crise, o smartphone mais procurado não é o mais barato. Na Motorola, por exemplo, o campeão de vendas é o Moto G, que custa na faixa de R$ 699, e não o Moto E, que sai por R$ 569.

Como quase a metade do custo de produção de um smartphone está atrelada ao dólar por causa dos componentes importados, a alta do câmbio teve impacto nos preços e isso poderia inibir as vendas. Mas não foi o que se viu por enquanto.

Outro resultado surpreendente é que a fatia nas vendas de smartphones das regiões que concentram a população de menor renda do País - Nordeste, Norte e Centro-Oeste- cresceram neste ano em relação a 2014, aponta a GFK.

Desaceleração

Para Ubirajara Pasquotto, diretor da rede varejista Cybelar, com 140 lojas de eletroeletrônicos no interior de São Paulo, o smartphone tem sido a sustentação das vendas. "Mas essa curva hoje é menos acelerada do que já foi."

Dados preliminares da GFK, que incluem o mês de abril, mostram que a taxa de crescimento de vendas do smartphone perdeu fôlego, apesar de continuar na casa de dois dígitos.

Entre janeiro e abril, o avanço foi de 29,5%, ante 34% no 1º trimestre. O produto ajudou também a melhorar o desempenho da categoria celular no período, que cresceu 22,6% em relação a 2014. É que as vendas de celulares tradicionais caíram 60%.

Diante da desaceleração registrada em abril, Ivair Rodrigues, diretor da empresa de pesquisa IT Data, cortou a projeção de vendas para o 2º trimestre.

Ele calcula que 13,6 milhões de smartphones sejam vendidos no período, o mesmo volume do 1º trimestre. Com isso, o avanço entre abril e junho em relação a 2014 será de 2% a 3%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Fonte: O Estado de São Paulo
Tags: Vendas, Smartphones, Exceção, Crise
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
faturamento consumo franquias shoppings ecommerce ipi comércio inadimplência e-commerce preços veículos comércio eletrônico indústria varejo supermercados são paulo vendas crédito natal economia

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront