Segunda-feira, 01 de Junho de 2015
Negócios virtuais crescem 24% mesmo em tempos de crise Negócios virtuais crescem 24% mesmo em tempos de crise
O mercado digital é um mar fácil de navegar, principalmente para microempreendedores. A venda de produtos em menor escala e a possibilidade de um contato mais estreito com os clientes ajudam o microempreendedor a crescer no ambiente virtual.

"O mercado digital cresce em média 24% ao ano, mesmo nesse momento de crise", expõe Ítalo Guanais, coordenador de comércio e serviços do Sebrae-Bahia. A facilidade de manter um comércio sem aluguel de espaço leva muitos comerciantes a optarem por terem loja apenas no ambiente virtual, mas, de acordo com o especialista, manter o comércio nos dois espaços também é vantajoso.

"A loja em espaço virtual, com presença nas redes sociais, é uma forma de otimizar sua marca", explica Guanais. Essa é uma forma de alimentar a confiabilidade da marca, ponto mais importante para se manter no mercado digital.

A todo vapor

Porém a ferramenta que veio para ajudar também pode se transformar em inimiga. "Para atuar, o empreendedor deve entender o mercado online e se adaptar à velocidade das transações", afirma Thiago Sarraf, especialista em e-commerce e criador da Consultoria Doutor e-commerce.

De acordo com a empreendedora Gabriela Morbeck, de 20 anos, as transportadoras, como os Correios, facilitam o processo para quem está empreendendo.

"Você pode fazer um cadastro e pagar um valor fixo pelo envio da encomenda", conta a estudante de engenharia ambiental que mantém duas lojas em ambiente virtual há mais de um ano, uma delas de artesanato, a Mar Aberto, e outra de moda, a Tulive. Gabriela conta que pretende crescer o comércio em espaço virtual mesmo e se formalizar como microempreendedora individual no futuro.

A facilidade no envio dos produtos é o que faz com que os pequenas lojas se destaquem no meio digital. "A velocidade de atendimento é importante", explica Sarraf. As grandes empresas, de acordo com o especialista, também podem conseguir isso, porém, por ter demanda de envio menor, as microempresas conseguem esse bom atendimento ao cliente mais facilmente.

"O importante é que você planeje ao colocar a sua loja no mercado digital", conta Guanais. De acordo com o especialista, a pessoa deve ter em mente o tipo de público e que plataforma a loja usará.

"Uma loja virtual pode atingir mais consumidores do que uma loja física", afirma Sarraf. Mas pensar em que nicho de mercado você vai entrar é importante para saber o potencial do seu público consumidor, explica Guanais. "Antecipe os possíveis problemas, e conseguirá se sair bem", completa.

Navegue na onda do comércio digital

Redes sociais - As redes sociais são o principal canal de comunicação entre empresa e consumidor. Investir nelas é o ideal para o sucesso

Confiabilidade - Divulgar todas as informações do produto corretamente contribui para criar um vínculo de confiança com o cliente

Prazo de entrega - O ideal é que você divulgue em seu site o prazo médio de entrega do produto. Cumpri-lo é essencial para manter uma boa imagem no mercado digital

Planeje - Antecipe possíveis problemas quanto a avaria do produto na hora do transporte. O ideal é que, caso isso aconteça, você dê um produto novo ao cliente

Vitrine - Procure a vitrine para seu produto, chamado MercadoPlace, como o MercadoLivre e outros sites de comércio, ideal para você. É essencial procurar também com antecedência que tipo de transportadora usará.
Fonte: A Tarde - atarde.uol.com.br
Tags: Negócios virtuais, Crescimento, Crise, Mercado digital, Ecommerce, Lojas virtuais, Comércio eletrônico
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
supermercados ipi consumo inadimplência natal shoppings indústria economia crédito comércio eletrônico varejo e-commerce são paulo veículos franquias preços ecommerce comércio faturamento vendas

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront