Quinta-feira, 28 de Maio de 2015
Vendas reais do varejo caem em abril, aponta IDV Vendas reais do varejo caem em abril, aponta IDV
As vendas reais do varejo no mês de abril caíram 0,5% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, de acordo com o Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV). O resultado é pior do que a expectativa que a entidade havia divulgado para o mês, de 3,4% de crescimento em abril.

O indicador de vendas mesmas lojas, que leva em conta apenas unidades abertas há mais de um ano, apresentou queda de 4,7% em abril ante igual período de 2014.

Em nota, a presidente do IDV, Luiza Helena Trajano, considera que o desempenho das vendas de janeiro a abril é o pior em três anos. Ela avalia que o desempenho tem sido impactado pela mudança do cenário econômico, com redução da renda das famílias e queda na confiança do consumidor. Em março, houve alta de 2% na comparação anual; em fevereiro houve retração de 2,2% e em janeiro as vendas subiram 1,5%.

Os indicadores do IDV são coletados junto a associados, dentre os quais estão os principais grupos varejistas do Brasil. A entidade reúne ainda estimativas feitas pelas empresas para os próximos meses.

Os dados de expectativas do IAV-IDV (Índice Antecedente de Vendas) indicam retomada do crescimento em maio. A previsão para o mês é de alta de 2,2% nas vendas do varejo na comparação com maio de 2014. Já para junho e julho, a estimativa de crescimento na comparação anual é de 4,3% e 3,0%, respectivamente.

Crédito afeta duráveis

O segmento de bens duráveis foi o que mais colaborou com o resultado negativo das vendas segundo o apurado pelo IDV. O setor teve queda de 3,9% em abril, já descontada a inflação, comportamento que a entidade atribui ao menor ritmo de crescimento do crédito. Para os meses subsequentes, a expectativa é de uma recuperação de vendas, com crescimento real de 1,0% em maio, 3,9% em junho e 1,6% em julho.

Já o setor de bens não duráveis, que responde em sua maior parte pelas vendas de super e hipermercados, foodservice e perfumaria, teve alta de 0,1% em abril. Em relação aos próximos meses, a expectativa é de um crescimento maior nas vendas, de 1,8% em maio, 2,8% em junho e 1,2% em julho.

O segmento de bens semiduráveis, que inclui vestuário, calçados, livrarias e artigos esportivos, cresceu 1,8% em abril. A estimativa de crescimento para os próximos meses é de 4,2% em maio, 7,6% em junho e em 7,3% em julho.
Fonte: Agência Estado
Tags: Vendas reais, Varejo, Queda, Abril, Idv
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
e-commerce preços indústria franquias faturamento vendas são paulo economia supermercados ipi inadimplência shoppings natal comércio eletrônico ecommerce consumo crédito comércio veículos varejo

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront