Quinta-feira, 21 de Maio de 2015
Hyundai prevê crescimento zero em 2015 e tenta repetir as vendas de 2014 Hyundai prevê crescimento zero em 2015 e tenta repetir as vendas de 2014
A montadora sul-coreana Hyundai, com sede em Piracicaba (SP), anunciou que não prevê crescimento para este ano, por conta da crise econômica que atinge as empresas automotivas no Brasil. Apesar da perspectiva de avanço zero, a companhia espera repetir os resultados de 2014, quando vendeu todos os 180 mil carros produzidos na fábrica do interior de São Paulo. Por outro lado, a Honda, que fica em Sumaré (SP), tem uma previsão diferente para 2015 e espera crescer 15% em razão dos novos modelos.

A montadora afirmou que que, segundo dados da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a Hyundai caiu 7% de janeiro a abril deste ano por conta da crise econômica, enquanto todo o mercado registrou uma redução de 19% nas vendas.

O presidente da Hyundai no Brasil, William Lee, afirmou que os motivos para que a montadora tenha registrado menos queda do que outras empresas e, ainda ter a perspectiva de vender toda a produção de 2015, é a boa aceitação do HB20 no Brasil, além de ações realizadas desde o ano passado para promover a marca. O preço do modelo produzido na fábrica de Piracicaba varia de R$ 35,7 mil a 54,8 mil.

“A boa aceitação do HB20, a mão de obra qualificada e algumas ações que a empresa promove, como ter patrocinado a Copa do Mundo, fez a marca se tornar conhecida no Brasil e nos colocou em uma situação de menor queda em comparação com o mercado, apesar de a crise existir”, afirmou Lee.

Férias coletivas e demissões

O presidente da montadora ainda informou que a empresa vai continuar trabalhando em três turnos e que não prevê demissões para este ano. Além disso, a Hyundai deve dar férias coletivas para os 2,5 mil funcionários da fábrica em julho e em dezembro, mas nega que isso seja um procedimento adotado por conta do cenário econômico.

No entanto, a CAOA Montadora, responsável por produzir os modelos Tucson, ix35, HD e HR, concedeu férias coletivas de 10 dias, em abril, para 1,6 mil colaboradores da fábrica situada em Anápolis (GO).

A empresa justifica que a situação de Anápolis é diferente da fábrica de Piracicaba, já que em Goiás a companhia também monta veículos importados e caminhões, que registram queda maior nas vendas do que o HB20, fabricado no interior de São Paulo.

Honda

Diferentemente da Hyundai, que não vai crescer neste ano, a Honda prevê um crescimento de 15% nas vendas em 2015 frente ao ano passado, quando produziram 127 mil unidades. A fábrica de Sumaré, que completa 18 anos em outubro, tem trabalhado com horas-extras de 1 hora e quarenta minutos nos dois turnos. A unidade fabril tem 3,5 mil funcionários. A linha de montagem, que tem capacidade para 540 veículos por dia, tem entregado 652 carros novos.

Segundo o vice-presidente de produção Carlos Eigi, nos primeiros quatro meses do ano a produtividade cresceu 15%. A explicação para a montadora japonesa remar contra a maré são os últimos três lançamentos. O novo Fit, em abril de 2014, a versão nova do City, em agosto passado, e o HR-V. O modelo SUV produzido desde março deste ano tem fila de espera de 100 dias na versão top, com custo na casa de R$ 90 mil e de 30 dias na versão básica, que sai por volta dos R$ 70 mil.

“Estes novos modelos e o HRV são os nossos diferenciais. Demos sorte. Foi o nosso line-up”, aponta o vice-presidente. Só com o HRV a previsão é comercializar 50 mil unidades até dezembro. O investimento da montadora no 4º modelo no Brasil foi de R$ 250 milhões. Além do HRV, Fit e City, a fábrica produz o Civic.

Itirapina

A Honda ainda mantém os planos de finalizar a fábrica de Itirapina (SP) no final de 2015, mas o início da produção do Fit ainda não tem data para começar. A informação é do diretor executivo de relações institucionais, Paulo Takeuchi. A empresa chegou a anunciar os trabalhos para dezembro deste ano, durante a visita do governador Geraldo Alckmin (PSDB) à planta em abril, mas a montadora vai aguardar o mercado, que está em crise.

A fábrica de Itirapina terá 2 mil funcionários, cerca de 1,2 mil a menos do que em Sumaré. Mas com o novo pacote tecnológico, a produção será de 540 carros por dia em dois turnos, sem horas-extras, o mesmo do que a unidade da região de Campinas. A área de construção é de 160 mil metros quadrados, em um terreno total de 5 milhões de metros quadrados.
Fonte: G1 Piracicaba e Região
Tags: Hyundai, Previsão, Crescimento zero, Vendas, Montadora, Economia, Setor automobilístico, Piracicaba, Veículos
São Paulo - A Casas 17/09/2014 - Saiba quem são as 13 redes de moda que mais vendem no Brasil
São Paulo – Nos últi22/07/2014 - 20 franquias que buscam empreendedores no interior de SP
São Paulo - Ter uma 11/05/2015 - 30 opções de franquias para trabalhar de casa
São Paulo – Muitos e04/08/2014 - 20 opções de franquias para abrir em casa
São Paulo - Muitos e06/07/2015 - 20 franquias para quem pode investir até 20 mil reais
Os shoppings da Gran05/12/2014 - SP: Shoppings têm horário especial em dezembro para compras de Natal
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
comércio veículos crédito são paulo economia varejo ipi faturamento inadimplência supermercados e-commerce vendas shoppings ecommerce consumo comércio eletrônico natal franquias preços indústria

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront