• Setembro de 2017
Home / Dicas / Marketing

Conheça dois setores bons para investir no verão

Com a chegada do verão, alguns negócios específicos deslancham e, com isso, seus lucros disparam. Afinal, com tantas pessoas de férias e com o calor batendo na porta, a demanda por alguns produtos cresce mais que em qualquer outra estação do ano.

Porém, como os contratos de franqueados duram, em média, cinco anos, não é possível - e nem mesmo rentável - investir em uma franquia que funcione em apenas uma estação.

Por isso, as empresas precisam saber lidar e administrar a questão da sazonalidade dos produtos, a fim de garantir a atuação do negócio em todos os períodos do ano.

Segundo o diretor executivo da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Ricardo Camargo, na lista das franquias que obtêm sucesso no período entre dezembro e o final do carnaval, estão aquelas pertencentes ao setor da alimentação, acessórios e produtos de beleza.

Muitos franqueados trabalham com promoções e parcerias para tirar proveito da demanda que surge em certas épocas do ano. A Chilli Beans, Havaianas e algumas franquias que trabalham com fast-food tentam não só atrair o público que está nas ruas, mas ir atrás dele, onde quer que eles estejam.

Por isso mesmo, muitas praias são bombardeadas por quiosques de tais marcas. Além disso, as sorveterias também entram no esquema.

"Essas são as relacionadas com o verão. O mesmo acontece no inverno. Em Campos do Jordão, por exemplo, muitas empresas criam ações para lucrar com o frio e os turistas", diz Camargo.

"A questão é que você monta uma operação para três ou quatro meses por ano. Não vale a pena criar uma franquia só para isso. O que acontecem são modificações na forma do franqueado trabalhar", completa.

Ainda de acordo com o diretor da ABF, dezembro é o melhor mês para a abertura de franquias relacionadas com o verão. "Um pouquinho antes do verão é o ideal, para a franquia se estruturar e conseguir lucrar bem até fevereiro ou março, dependendo de quando cair o carnaval", aconselha.

Para quem for se aventurar no negócio, Camargo pede que se atente ao planejamento. "Existem duas dicas principais: (serão necessários) um bom plano de negócios e uma atenção maior para a questão da mão-de-obra. Afinal, o franqueado não terá tempo de treinar uma equipe", explica.