O que posso fazer para que meu pessoal renda mais? O que posso fazer para que meu pessoal renda mais?
Por Jurani Parente

Quando trabalhava em São Luis do Maranhão, representava uma empresa que era considerada a maior do seguimento no Brasil. Extremamente respeitada e admirada por clientes e concorrentes. Na ocasião, estávamos precisando de um vendedor e fizemos um processo de seleção. Já conhecia o trabalho de um rapaz em uma determinada loja. Porém acreditei que ele seria um excelente profissional para o cargo que precisávamos. É bom que se diga que esse rapaz iria ganhar mais do que havia ganhado até o momento, afora outros benefícios, além de uma qualidade melhor de vida profissional e quem sabe até pessoal.

Quando fiz o convite, o rapaz recusou-o, e lhe perguntei o porquê da recusa. Ele disse que onde estava seu chefe gostava e precisava dele. Então passei a observar melhor o chefe desse rapaz, e um certo dia quando estava na loja o tal chefe vinha chegando e diante de clientes e fornecedores deu um abraço no vendedor e disse: “Você foi o campeão do mês passado, parabéns. Você não faz idéia de como precisamos disso e também o quanto você é importante para nós”.

Certa vez, logo depois de ser transferido do Ceará para o Piauí pela Metalonita S/A, (empresa onde aprendi muito e até hoje tenho eterna gratidão), recebi uma ligação do gerente geral (Cargo que correspondia ao superintendente), ele apenas queria me dizer: “Você está aí porque sei que é competente e confio em você. Obrigado”. E olha que isso aconteceu há mais de 10 anos, nunca esqueci e sempre fui extremamente leal a eles. Nesse ponto de vista cito uma frase de Pasick: “Quando o assunto é manter um empregado, um bom chefe vale mais do que um salário compensador”.

Digo sempre em minhas palestras que o dinheiro é muito importante para pagar as prestações, o carro, dar uma melhor qualidade de vida em certos aspectos. Mas o que faz a grande diferença, o que realmente faz o empregado tirar forças de onde não tem, de onde vem o esforço para gostar mais do que faz? É um elogio sincero e honesto; um muito obrigado... é um ‘preciso de ti‘, ‘conto contigo‘, um bilhetinho sobre a mesa, um parabéns cotidiano (Que por sinal acho uma das palavras mais belas e mágicas que existe). Pagamento pontual é obrigação e um feliz direito do empregado. Valorização e elogio são o segredo criativo de ascender qualquer situação...

Muitos chefes se acham o papa do negócio, infalíveis, porém, a prova de erros, eles são incapazes de demonstrar uma fraqueza e muito menos acreditar que precise de alguém para seu crescimento. Mas em alguns casos mostrar que precisa e que tem limitações (todos nós temos), pode agregar valor, juntar mais a equipe e criar o sentimento de lealdade e companheirismo. Há casos de ‘gerentes de vendas‘ que são muito bons em perguntar pelos números, mas não fazem algo concreto para auxiliar isso acontecer, “nada”...

Outro ponto que considero importante é saber escutar o cliente (interno ou externo). Há uma diferença em ouvir e escutar. Nós temos os momentos de fraquezas, e nesses momentos precisamos ser ouvidos e compreendidos. Procure ver quantas oportunidades perdeu. Oportunidades que muitas vezes podem surgir de idéias de um simples subordinado que não escutamos. Veja quantas vezes bloqueamos a mensagem dos outros por defender a nossa sem dar oportunidade de argumentação a quem estar falando no momento? Quantas vezes nem sequer deixamos ele terminar e já fazemos o julgamento precipitado, dizendo que a mensagem ou a idéia não serve. Quantas vezes transformamos nosso colaborador em ouvinte? Será que ele tem que engolir tudo sem direito de contestar? Quantas vezes uma coisa sai errada porque não terminou de ouvir tudo como deveria?

Muita gente é especialista em dizer “não” antes mesmo de tentar testar ou ouvir. E estes são alguns dos casos em que as mulheres superam os homens e muito. Para mim, a mulher em algumas habilidades é muito superior aos homens. E aqui vai uma brincadeira e que muitas vezes se encaixa na realidade do dia-a-dia: A mulher tem o dom de gerar uma criança, trabalhar, administrar casa, filhos e o mais complicado: “o marido”. Muita gente confunde que chegar ao topo pode ser considerado um líder. E não é bom por aí. A trajetória depende de muitos fatores. Muita coisa pode levar uma pessoa ao topo, mas a de ser líder só com a qualidade de lidar e compreender pessoas.

Hoje ser do ‘bem‘ sinceramente mesmo sem qualificação acadêmica, pode transformar uma pessoa em um líder nato. Pois, acredito que muito líder conseguiu colocar em pratica a liderança através de sua personalidade. Na verdade, um líder não tem empregados. Mas na mente de seus comandados o líder é na verdade um exemplo para ser copiado e admirado. O líder consegue seguidores, fãs e acima de tudo pessoas que estarão com ele. Como diz o ditado popular: “estou com ele até debaixo d‘água”.

Jurani Parente
Consultor de vendas, autor do livro: "A arte de vender sempre mais"
E-mail: juraniparente@secrel.com.br
Tags: Vendas, Varejo, Varejista
Aguarde...
Popularidade: 5 (2 Votos)
28/04/2017 - Não dá mais para brincar de vendinha
03/04/2017 - 6 práticas que matam suas vendas
14/03/2017 - Quer vender mais? Conte uma boa história
10/03/2017 - 3 perguntas para identificar se o seu varejo é eficiente
28/03/2017 - Vendedor, o seu cliente é promotor, neutro ou detrator?
23/03/2017 - Dia do Consumidor – um dia que nunca termina
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
sucesso atendimento vendas vendedores dicas dicas de vendas negócios marketing comércio treinamento varejista vendedor varejo comércio eletrônico consumo desempenho crise atendimento ao cliente relacionamento ecommerce

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront