Do clique à compra Do clique à compra

Entender o comportamento do e-consumidor, juntamente com o processo de compra em si, é uma das chaves para o sucesso do varejo online. Na verdade, para melhorar a conversão do comércio eletrônico, o primeiro passo, sem dúvidas é reunir informações sobre perfil de seus consumidores. Uma das várias métricas utilizadas para esse tipo de informação é o tempo necessário para concluir o processo de transação, ou seja, o número de minutos, horas e dias gastos por este público para concluir uma compra.

 

Entretanto, o tempo para aquisição de um produto on-line pode ser muito diferente em cada parte do mundo. Com o intuito de avaliar este comportamento, a vitrine virtual UmSóLugar desenvolveu uma pesquisa envolvendo 13 diferentes países: Alemanha, Brasil, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Finlândia, França, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, República Checa e Suécia.

 

Principais diferenças no tempo de compra em alguns países

 

Para se ter uma ideia, enquanto na maioria dos países os consumidores levam cerca de 1 hora para comprar roupas, na França são necessárias pelo menos 4 horas – observado como o tempo mais longo nessa categoria. Na contramão desta realidade está a Eslováquia, visto como o país mais rápido quando o assunto é consumo fashion, com aquisições realizadas em menos de 20 minutos, desde o primeiro clique até a decisão final. Situação semelhante em outra grande categoria do e-commerce: sapatos. A média é de 68 minutos em toda a Europa, mas, novamente a França aparece em destaque na lista como o país no qual usuários consomem mais tempo na transação, com suas características 4 horas – muito distantes dos apenas 10 minutos investidos pelos e-consumidores noruegueses.  Para móveis e decoração, entretanto, a maioria dos internautas finaliza a compra dentro de 1 hora, com exceção de Itália e França.

 

O cronograma da compra on-line

 

Para melhor visualizar esse comportamento, o infográfico* mostra a linha de tempo do período necessário para que um usuário médio europeu finalize sua aquisição, levando em consideração alguns dos produtos mais comuns. Como a maioria das compras ocorre dentro de 48 horas, o gráfico foi desenhado partindo do primeiro clique dado no produto, até a tomada de decisão, após um período máximo de dois dias.

 

A linha do tempo destaca, ainda, diferentes categorias, possibilitando observar claramente que roupas em geral, com exceção de camisetas básicas, ocupam uma posição central - afinal, encontrar o vestido de festa perfeito pode demorar um pouco mais. Alguma peça importante de mobiliário, como um sofá (certamente mais caro que acessórios), também exige maior investimento de tempo, enquanto óculos de sol e brinquedos despontam na primeira seção da linha do tempo, necessitando apenas de 26 minutos para serem escolhidos.

 

Comportamento do consumidor brasileiro

 

No Brasil, antes do consumo de fashion ou mobiliário, aparece como destaque a procura por eletrônicos. A pesquisa Webshoppers 2016, apresentada pela Ebit no início deste ano, apontou que o produto Celular/Smartphone foi o mais escolhido como opção de compra, com 26% da preferência dos consumidores online, seguido por Moda Feminina/ Acessórios (19%), Moda Masculina/Acessórios (15%), Perfume (12%) e Esporte e Lazer (11%).

 

Mesmo estando no topo da lista de produtos adquiridos online, o levantamento mostra que somente 15% dos consumidores fizeram a escolha imediata do aparelho comprado. Em média, nota-se que 42% dos compradores demoraram até uma semana para a escolha do artigo ideal e outros 42%, mais de duas semanas. Portanto, tais dados comprovam que quanto maior o valor agregado do produto, maior é a necessidade de pesquisar e buscar o melhor custo-benefício, principalmente diante do incerto cenário político-econômico atual do país, que obriga o consumidor a assumir um perfil mais conservador e ponderar com atenção redobrada o que deve ser levado para casa.

 

 

*Pesquisa desenvolvida pelo UmSóLugar no final do ano de 2016, baseada em compras online realizadas em 13 países (Alemanha, Brasil, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Finlândia, França, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, República Checa e Suécia) durante um período de 18 meses. Foram analisadas mais de 160 categorias de produtos, de móveis a brinquedos, com base em um banco de dados próprio, composto por mais de 100 milhões de produtos.

 

 

 

Tags: Varejo online, Varejo, Compras
28/04/2017 - Não dá mais para brincar de vendinha
03/04/2017 - 6 práticas que matam suas vendas
14/03/2017 - Quer vender mais? Conte uma boa história
10/03/2017 - 3 perguntas para identificar se o seu varejo é eficiente
28/03/2017 - Vendedor, o seu cliente é promotor, neutro ou detrator?
23/03/2017 - Dia do Consumidor – um dia que nunca termina
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
comércio consumo ecommerce varejista dicas de vendas vendedores dicas varejo online varejo atendimento ao cliente crise atendimento vendas marketing desempenho comércio eletrônico negócios treinamento vendedor sucesso

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront