• Setembro de 2017
Home / Artigos / Vendas

SP: Consumidor quer mais do que duas sacolinhas grátis

Consumidores continuam insatisfeitos com a novela das sacolinhas plásticas. No primeiro dia das novas regras para a entrega das embalagens ecologicamente corretas (verdes e cinzas), os clientes dos supermercados saíram reclamando de só ter direito a duas sacolas grátis por compra. Além disso, classificaram o desconto dado para quem leva a sua sacola retornável de casa como “irrisório”. Para muitos consumidores, os 5% só servem para enganar os desinformados.

O acordo articulado entre o Procon-SP e a Apas (Associação Paulista de Supermercados) determina que os estabelecimentos devem conceder duas sacolinhas independentemente do valor dos produtos adquiridos. Caso o cliente leve as chamadas ecobags de casa, o estabelecimento deve dar o desconto acumulativo de R$ 0,03 a cada cinco itens adquiridos ou a cada R$ 30.

A aposentada Floripe Santiago Sena, de 80 anos, foi ao supermercado comprar poucas coisas e saiu de lá com as duas sacolas que tinha direito, mesmo uma delas estando vazia. “Eu peguei (a sacolinha) mesmo não precisando agora porque depois, além de reutilizar na coleta do lixo de casa, eu posso trazer para carregar compras maiores”, disse.

A secretária Mônica Fernandes, 47, acha a medida desequilibrada. “Quem compra muitos produtos ganha duas sacolas, quem compra poucos também. Esse cálculo é injusto”, protestou.

Outras pessoas, mesmo sem saber da possibilidade de desconto na compra, preferiram carregar as sacolas retornáveis. O motorista José Tomaz de Campos, 58, pagou R$ 0,24 a menos na conta. “Eu sempre trago as sacolas de casa. Receber o desconto foi um bônus, mas é muito pouco”, disse.

“O certo mesmo é darem de graça. As empresas já faturam tanto com os produtos que cobrar pelas sacolinhas não chega a ser nada”, comentou a doméstica Guiomar Bezerra, 55.

A engenheira Fabiana Farias, 29, disse ser a favor das novas sacolinhas. “Não custa nada trazer a própria sacola de casa. É uma questão de cultura, logo o povo toma mais consciência e cria o hábito”, completou.

Os que precisam comprar as sacolinhas continuam pagando entre R$ 0,08 e R$ 0,10 por cada uma. A Apas garante que esse valor é o de custo para os supermercados. O Procon diz querer ter acesso às notas de compras para comprovar esses valores. “No cômputo dos valores das mercadorias já está embutido o custo da sacola. Taxar a mais é uma cobrança dupla”, disse a diretora-executiva do Procon, Ivete Maria Ribeiro.

Fonte: Diário SP