Pai, quero ser vendedor quando crescer! Pai, quero ser vendedor quando crescer!
Por César Frazão

Foi exatamente isso que ouvi do meu filho há alguns anos, achei no mínimo estranho, pois a maioria dos garotos quer ser policial, bombeiro ou jogador de futebol (aliás, ele também já quis), pensei... “Deve ser porque sou vendedor, afinal sei que os filhos, "normalmente", têm o pai como modelo, inclusive na profissão.

Opa! Eu disse profissão? É isso mesmo, a atividade de vendedor, aos poucos, está sendo vista como uma profissão respeitada e altamente valorizada no mercado, deixando para traz a imagem de que o vendedor é sinônimo de fracasso, “bom de papo”, aproveitador e mentiroso. Havia exceções, mas o antigo vendedor colaborava.

Talvez fosse por essa mudança percebida, que ele manifestou o interesse em ser vendedor quando crescer. Para tentar descobrir o que se passava na cabecinha dele, perguntei “Por que vendedor?”
– Porque deve ser legal ganhar muito dinheiro, conhecer pessoas e lugares diferentes, ter um carrão novo, uma moto, viajar e usar gravata. Deve ser divertido!

Sem dúvida é uma ótima escolha, por este ponto de vista, mas se deseja ter sucesso em vendas e realizar seus sonhos, além de trabalhar duro e suportar a pressão pelos resultados, deve prestar atenção a:

APARÊNCIA E AUTO-IMAGEM

“O mundo paga e trata melhor quem se veste bem” já dizia meu mestre Clay Lopes. É vital que o profissional transmita credibilidade e uma imagem de sucesso, pois antes do produto ou serviço, o cliente compra, ou não, a imagem do vendedor.

Vejo com frequência vendedores bem intencionados, honestos e esforçados perdendo muitas vendas devido à sua má apresentação pessoal, com sapatos sujos, calças amarrotadas, cabelos despenteados, etc.

Não quero dizer que todos os vendedores devem usar terno e gravata, aliás, dependendo do ramo de atuação isso nem é apropriado, pode até afastar o cliente, mas é fundamental transmitir uma imagem saudável e asseada.

Esse problema é menor entre as mulheres devido à vaidade, mas vale lembrar que excessos, por exemplo, de maquiagem, decotes e até mesmo alguns modelos de sandália, às vezes, podem deixá-las mal vistas no ambiente de negócios.

CONHECIMENTO

Os produtos e serviços estão cada vez mais parecidos, aumentando a disputa por clientes, por fatias de mercado ou por um bom emprego. O diferencial, o fator de desequilíbrio, será cada vez mais o conhecimento do profissional de vendas.

Em uma palestra para 350 vendedores perguntei “Quem de vocês assina e lê um bom jornal e uma boa revista?” 

Infelizmente, somente três pessoas levantaram as mãos, o que equivale a menos de 1%, ou seja, 99% dos vendedores presentes naquela convenção de vendas não possuem o hábito da leitura. Se não lêem uma simples reportagem o que falar sobre livros?

Há também vendedores que não participam de cursos, palestras alegando que a empresa não investe em treinamento, como se a obrigação fosse somente da empresa, ou pior ainda, alegam não ter tempo. Não existe falta de tempo, o dia é o mesmo com 24 horas para todos, o que existe é falta de prioridade. Quem não estabelece suas prioridades, certamente acabará trabalhando para as prioridades dos outros.

MOTIVAÇÃO E ENTUSIASMO

Um bom currículo e o domínio de um segundo idioma são importantes para uma boa formação? Claro que sim. Mas o fator fundamental para o sucesso é a motivação.

A verdade é uma, a empresa pode ter o melhor produto do mercado com o preço mais baixo, mas se a equipe estiver desmotivada, não venderá nada. As empresas estão loucas atrás de gente positiva e motivada. Perguntei a vários gerentes e empresários se teriam uma vaga na empresa para um bom vendedor motivado e entusiasmado e nunca ouvi um não.

Podemos concluir que não faltarão excelentes oportunidades para vendedores com uma forte motivação e que transmitam entusiasmo pelos poros.

Um dos principais fatores motivadores em qualquer profissão é gostar do que se faz. É impossível um médico ser um bom cirurgião se ele detesta medicina e assim por diante.

Por isso, se você quiser se tornar um PROFISSIONAL DE VENDAS e ficar rico nessa profissão é preciso ter um profundo orgulho do que se faz e amar o seu trabalho, caso contrário, correrá o risco de um dia seu filho lhe dizer: 
– Pai, sabe o que eu quero ser quando crescer? Aposentado! Como o trabalho é ruim, não precisarei trabalhar nem ir a escola, mas terei um pouco de dinheiro todo mês e poderei assistir televisão o dia inteiro!

Boas vendas e sucesso!


César Frazão é formado em Administração de RH é especializado em Vendas para Mercados Competitivos pela BELL SOUTH ATLANTA (EUA) e tem Formação de instrutores de Treinamento pela USP.
www.cesarfrazao.com.br
Tags: Vendas, Vendedores, Dicas de vendas
28/04/2017 - Não dá mais para brincar de vendinha
03/04/2017 - 6 práticas que matam suas vendas
14/03/2017 - Quer vender mais? Conte uma boa história
10/03/2017 - 3 perguntas para identificar se o seu varejo é eficiente
28/03/2017 - Vendedor, o seu cliente é promotor, neutro ou detrator?
23/03/2017 - Dia do Consumidor – um dia que nunca termina
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
ecommerce consumo sucesso desempenho comércio treinamento crise dicas comércio eletrônico negócios varejista atendimento marketing dicas de vendas vendedor vendas vendedores varejo atendimento ao cliente varejo online

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront