Fluxo de pessoas no shopping - Tecnologias quantificam clientes Fluxo de pessoas no shopping - Tecnologias quantificam clientes
Por Paulo Sergio Campos

Saber quantas pessoas frequentam um shopping é fundamental para nortear decisões administrativas e promoções de marketing. Essa informação, combinada com variáveis internas, como vendas e fluxo de veículos, e externas ao empreendimento, como clima, datas comemorativas e eventos, pode fazer a diferença no sucesso do negócio. 

Em 1997, finalizei o desenvolvimento e patenteei o primeiro sistema eletrônico de contagem de pessoas, hoje usado por 60 shopping centers do País. O primeiro a adotar o sistema, que funciona a base de raios infravermelhos, foi o Plaza Shopping Niterói (RJ), há 16 anos. A tecnologia substituiu o trabalho de contagem manual, antes feito por uma equipe de 12 pessoas. Nessa época, no Brasil, havia apenas 128 shoppings. Desde então, essa indústria não parou de crescer, podendo chegar a 461 em 2014. 

A expansão do setor ampliou a competitividade e a busca de novas ferramentas para gerir o negócio. A medição focada na identificação do fluxo de pessoas de forma quantitativa continua importante, mas já não basta, é necessário saber quem são essas pessoas. 

Para suprir a necessidade de explorar todos os aspectos qualitativos que podem ser extraídos da variável fluxo de pessoas, desenvolvemos uma plataforma chamada Módulo de Qualificação de Fluxo (MQF), lançada no mercado recentemente. Um sensor de câmera e um software que reconhece parâmetros faciais permitem identificar automaticamente o gênero e a faixa etária das pessoas que passam por qualquer acesso ou em pontos específicos do shopping. 

As câmeras capturam as características dos rostos que são comparadas a parâmetros pré-definidos em um banco de referência, podendo apontar, de imediato, gênero e idade. Além de identificar se é homem ou mulher, criança, jovem ou adulto, o módulo também alimenta um banco de dados em tempo real para futuras consultas. No momento, a plataforma está sendo testada por dois shoppings do Rio de Janeiro: o Leblon e o Rio Design Barra. 

O Módulo de Qualificação de Fluxo permite saber com precisão qual é o real perfil dos consumidores que frequentam o shopping nos diferentes horários e dias da semana. Com essa tecnologia, o centro comercial tem a possibilidade de medir a audiência do visual merchandising em corredores, conhecer melhor o seu público e adequar suas ações de marketing.

Paulo Sergio Campos é engenheiro, especialista em fluxo de pessoas, inventor da primeira patente de sistema de contagem eletrônica de fluxo de pessoas no Brasil e diretor presidente da Mais Fluxo.
Tags: Fluxo de pessoas, Shoppings, Novas tecnologias, Tendências, Novas ferramentas, Quantificação de clientes
25/10/2016 - Empresário “do futuro” vai mudar o conceito de loja física
01/11/2016 - O varejo do futuro sem esquecer a análise do presente
21/02/2017 - As gôndolas do futuro
24/11/2016 - A experiência do cliente no centro da transformação digital
09/03/2017 - A transformação digital do setor supermercadista
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
mobilidade tendências mídias sociais varejo comércio consumidor marketing omnichannel interatividade empreendedorismo e-commerce inovação comércio eletrônico consumo relacionamento internet vantagem competitiva tecnologia loja virtual sustentabilidade

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront