Competir ou perecer Competir ou perecer
Por Bruno Caetano

Ser competitivo é um dos mandamentos para quem quer sobreviver no mercado. O primeiro passo é ter qualidade em seus produtos e serviços e bons preços. É o mínimo que uma empresa deve fazer para conquistar seu espaço entre a concorrência. Porém, a questão é mais complexa. 
 
Hoje, qualquer empreendimento compete não apenas com aquele que está fisicamente próximo, mas também com os de outras regiões e países, pois o comércio eletrônico derrubou as fronteiras. 
 
A empresa competitiva cuida bem dos ambientes externo e interno. Procura permanentemente conhecer os desejos e as necessidades do consumidor, se antecipa a eles e sabe comunicar suas qualidades. Não deixa de respeitar e tratar cada cliente como único. 
 
A relação com sociedade, governo e meio ambiente é pautada pela ética e responsabilidade. Uma empresa que descumpre leis, age com má-fé e desobedece a obrigações trabalhistas prejudica a própria imagem e fica mal perante a opinião pública. Ela perde consumidores, que após uma experiência de compra desagradável não voltam; espanta parceiros, que evitam negociar com que tem má fama; e não atrai bons profissionais, que preferem ter em seus currículos empregadores com melhor reputação. 
 
Ser competitivo é conhecer pontos fortes e fracos do empreendimento, assim como saber quais são as ameaças e oportunidades, planejar cada passo para reduzir a margem de erro, agir estrategicamente (expandir para outras praças, investir em recursos tecnológicos, aprimorar processos e diversificar portfólio, por exemplo) e se esmerar na execução.  
 
A competitividade envolve os mais variados aspectos de um negócio e, em uma micro ou pequena empresa, é o dono quem tem a missão de direcionar os esforços nesse sentido. É manter uma boa gestão, estar atualizado, inovar e buscar a melhoria contínua para sair-se melhor no confronto com a concorrência. É fazer mais com menos, oferecer um diferencial e maximizar o lucro pelo maior tempo possível. 
 
Não configura tarefa fácil, evidentemente. Mas o empreendedor bem preparado e atento tem plena condição de colocar seus negócios no rumo certo.  
 
Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP.
Tags: Competitividade, Varejo, Qualidade, Produtos, Serviços, Preço, Concorrência, Empreendedorismo
13/12/2016 - Teoria das Cores é relevante no marketing das empresas
25/11/2016 - 4 atos que explicam como as vendas revolucionaram o Marketing
02/03/2017 - O poder secreto dos gatilhos mentais e do neuromarketing
28/10/2016 - Kodak: Por que marcas fortes nunca morrem?
03/11/2016 - O poder da criatividade no universo das franquias
22/11/2016 - Como deixar seu e-commerce mais atraente na Black Friday
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
varejista consumo crise marketing dicas sucesso marca varejo negócios fidelização concorrência competitividade vendas marcas estratégias ecommerce comércio neuromarketing relacionamento branding

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront