Varejista, atenção com o estoque! Varejista, atenção com o estoque!
Por Dila Maria Pimenta

O estoque é, sem sombra dúvida, o pulmão da empresa varejista. Pouco ar, a empresa não respira, muito ar, a empresa se sufoca. Então, para que tudo transcorra bem, antes de mais nada, é necessário conhecer o gosto dos consumidores, para se estocar exatamente as mercadorias que o cliente alvo está interessado em adquirir. Também é preciso que se conheça a quantidade demandada pelo cliente, para se estabelecer níveis de estoques ajustados ao nível de vendas.

Não parece simples? Mas, na verdade, o controle de estoque é quase uma arte, algo que requer do administrador talento para conciliar qualidade exigida pelo cliente e quantidade para atender a sua fatia de mercado. Ele precisa perceber o que o cliente está precisando e em que quantidade, adotar e, principalmente, seguir uma política de controle de qualidade de fornecimento e armazenamento de mercadorias e, fazer isto, com o menor custo, isto é, comprando bem e barato, de modo, que o estoque possa ser escoado com rapidez e com boas margens.

Há fórmulas que ajudam o administrador, como os cálculos:

. do período médio de estoque, que indica quantos dias, em média, um item permanece em estoque;

. da quantidade mínima de estoque, abaixo da qual a empresa pode sofrer perda de vendas por falta de mercadoria;

. do ponto de compra, que estabelece em que momento a compra precisa ser feita para não haver falta nem excesso de estoque.

Há também as pesquisas de mercado, que são muito úteis para quem quer dimensionar vendas e, por conseqüência, compras e estoque.

Mas, até para analisar e decidir com base nestas fórmulas e pesquisas, o administrador precisa conhecer o mercado e, às vezes, mais do que conhecer, precisa ser capaz de influenciá-lo a ponto de induzi-lo a adquirir mercadorias que estão ‘encalhadas’ no estoque, por exemplo, ou que são interessantes para empresa que sejam vendidas, como mercadorias de valor mais alto.

Como se vê, a empresa respira através do estoque. Áreas como, recepção e expedição de mercadorias, compras e vendas estão ligadas por ele. Se o estoque vai bem, pode-se dizer que a empresa vai bem. Portanto, dê toda atenção a ele, inclusive, como repito sempre, com controles rígidos de entradas e saídas de mercadorias, que devem incluir: quantidade, unidade de venda, data, fornecedor/cliente, valor.

Por falar em valor, não se esqueça que saber calcular o valor de suas mercadorias em estoque é fundamental para a tomada de decisão de política de compra e venda e até de novos investimentos. Procure se informar sobre os métodos de valorização do estoque e do cálculo do custo da mercadoria vendida.

Não se importe se não começou a se organizar desde o primeiro dia do ano, nunca é tarde para pôr ordem no seu estoque.

Dila Maria Pimenta
Economista e Consultora de Custos
Tags: Gestão, Varejo, Varejista
Aguarde...
Popularidade: 4.2 (11 Votos)
01/11/2016 - O Varejo consegue pensar simples?
17/01/2017 - A Era do Líder Coletivo
21/10/2016 - Situação atual e projeções dos pequenos negócios no Brasil
17/03/2017 - Conheça a trajetória de Elizangela Kioko, diretora geral da Drogaria Onofre
21/03/2017 - A que distância você está do líder que você gostaria de ser?
Texto da Busca:
Data Inicial:
Data Final:
                   
concorrência motivação gestão negócios varejista atendimento ao cliente sucesso supervisão planejamento relacionamento varejo empreendedorismo carreira franchising crise econômica liderança competências atendimento vendas habilidades

Notícias | Artigos | Motivação | Cases | Feiras | Links | Newsletter | Cadastre-se | Calendário do Varejo | Twitter | RSS | Fale Conosco
© 2017 Copyright Varejista.com.br. Todos os direitos reservados. - Site: SGP Infront